Marco Gomes

Geek, imigrante, nerd, cristão, biker. Founder da boo-box (vendida) e do Heartbit. Consigliere do JovemNerd

Curiosidades e detalhes da cultura nerd e geek

Publicado em 2010-09-11

I love nerds

Lost[bb], Star Wars[bb], Tolkien, Weezer, X-Box[bb], Wii, Mario, Google, iPhone[bb]. Os nerds dominaram o mundo. É muito comum e cômodo dizer que, se você gosta de alguns desses símbolos nerds, pode se considerar um, entrando na moda e se beneficiando da atenção das pirinerds, a versão século XXI das maria-gasolina. Porque, para algumas mulheres, o modelo do seu carro já não importa mais: o legal é você ter mais de cinco mil seguidores no Twitter[bb].

Para diferenciar um tr00 nerd de um fã de Weezer, é preciso ir fundo na subcultura, entretenimento e literatura desse grupo que, de óculos de aro grosso e fala calma, tem dominado o novo milênio.

42, A Vida, O Universo e Tudo Mais

O número 42 é uma referência à trilogia de cinco livros de Douglas Adams, que começa com “O Guia do Mochileiro das Galáxias[bb]“.

Muitas eras antes da nossa, uma raça inteligente constrói um computador para responder à questão fundamental sobre “A Vida, O Universo e Tudo Mais” . Após passar bilhões de anos “pensando”, o computador responde:

– 42.

O número 42 é a resposta, mas se passaram tantas gerações desde que a pergunta foi feita, que a raça já não se lembra mais qual era a pergunta exata, sabem apenas que é a resposta para “A Vida, O Universo e Tudo Mais”. Mas, qual é exatamente a pergunta?

Talvez a intenção de Douglas Adams fosse mostrar que o Universo a Existência são mesmo nonsense, e mesmo assim algumas coisas são esquisitas por culpa nossa.

88 milhas por hora

Capacitor de FluxoNerds adoram citações a filmes clássicos de ficção científica, cultura pop e fantasia. Quando vemos um filme, nos aprofundamos em suas minúcias, detalhes e lições, e aplicamos isso em nosso dia-a-dia.

“88 milhas por hora” é a velocidade que o capacitor de fluxo do DeLorean precisa atingir antes de ir “De Volta Para o Futuro”.

7 Leis da Robótica

Capa de I, Robot

Primeira edição de Eu, Robô.

E você se achava o máximo por conhecer as 3 Leis da Robótica, hein? :D

As 3 Leis da Robótica iniciais foram criadas por Isaac Asimov antes dos 22 anos de idade, suas falhas e interpretações foram exploradas em uma série de contos e livros, cujo título mais conhecido é Eu, Robô.

Posteriormente, o próprio Asimov adicionou uma lei zero. Em seu universo, a lei foi criada/deduzida por um importante personagem robô: R. Giskard. Outros autores, escrevendo sob o mesmo tema, adicionaram três novas leis, duas delas como lei 4.

As leis são listadas em ordem de importância, sendo que a lei 0 prevalece sobre todas as outras.

0. Um robô não pode fazer mal à humanidade, ou, por inação, deixar que a humanidade sofra algum mal.
1. Um robô não pode causar mal à um ser humano, ou, por inação, deixar que um ser humano sofra algum mal. Desde que essa proteção não entre em conflito com a lei 0.
2. Um robô precisa obedecer a uma ordem de um ser humano, desde que essa ordem não entre em conflito com as leis 0 e 1.
3. Um robô precisa proteger sua própria existência, desde que essa proteção não entre em contato com as leis 0, 1 e 2.
4. Há duas possíveis 4as Leis:

  • Um robô precisa sempre se identificar como um robô em todos os casos.
  • Um robô deve sempre se reproduzir, desde que essa reprodução não entre em conflito com as leis 0, 1, 2 ou 3.

5. Um robô precisa saber que é um robô.

Here Be Dragons

Mapa com Here Be Dragons

Quando um programador[bb] detecta um trecho obscuro, potencialmente problemático e gerador de bugs num código de programação, insere um comentário no código com a frase here be dragons, sinalizando que não sabe o que acontece naquele ponto, e que ali podem acontecer comportamentos inesperados na execução do software.

Mashups

Nerds adoram misturar histórias, personagens, universos… Fazem isso inclusive de brincadeira, em mesas de bar e conversas na sala quando a conexão com a Internet caiu.

Marvel vs DC

Marvel vs DC Comics

Já aconteceram alguns desses encontros na história das duas maiores editoras norte-americanas de quadrinhos. É em situações assim que vemos Hulk contra Superman, Flash contra Mercúrio, Surfista Prateado contra Lanterna Verde, Mulher Maravilha contra Tempestade, Batman contra Capitão América.

Freddy vs Jason

Argh.

Alien vs Predador

Aliens vs Predador

As duas melhores franquias de extra-terrestres que o cinema já teve foram unidas em dois filmes ruins lançados em 2004 e 2007, respectivamente.

Ao contrário dos filmes, os jogos são excelentes e valem cada minuto investido.

  • O Predador, um honrado esportista competitivo, quer como troféu a cabeça do ser mais sanguinário da galáxia: uma rainha Alien.
  • Os Aliens, com seu incrível instinto, inteligência e comportamento de grupo, precisam proteger sua rainha e sua raça.
  • Os humanos, por puro azar, estão no meio da briga, são os mais frágeis e nem queriam essa briga acontecendo no território deles.

Você escolhe uma das raças pra jogar, aprende sobre suas fraquezas e vantagens e usa isso a seu favor pra cumprir o objetivo do jogo.

Warp Speed

299.792.458 metros por segundo.

Em filmes de ficção científica com viagem no espaço, warp é uma medida de velocidade relacionada à velocidade da luz. Este tipo de medida surgiu no universo de Star Trek[bb], para designar a velocidade de viagens por dobras no espaço.

Os fatores subsequentes da escala, como warp 2, 3, 4, são calculados segundo uma escala ambígua, difícil de entender e confusa por ter mudado em diferentes períodos do seriado.

Quando o capitão James T. Kirk – de Jornada nas Estrelas, qualquer fã de The Big Bang Theory[bb] sabe – disser pra entrar em warp 3, você já sabe o que isso quer dizer: rápido pra dedéu :)

Malvados usam cavanhaque

Evil Sr. SpockEm um episódio da série clássica de Star Trek, há cópias maléficas de todos os personagens, o clone malvado do Sr. Spock cultiva um cavanhaque. Foi esse episódio que deu origem ao costume de sempre colocar cavanhaques em demônios, diabos e demais criaturas maléficas.

Zumbis

Mortos-vivos fazem parte da cultura humana há milênios, mas o conceito moderno de zumbi, um humano que morreu mas continua animado, se arrastando e faminto por carne humana, foi popularizado com a série de filmes de George A. Romero, desde o final dos anos 60, sendo a principal referência na cinematografia de zumbis.

Zumbi na Zombie Walk SP

Os zumbis não morrem (já estão mortos), não se cansam, não sentem dor, não dependem dos cinco sentidos, não pensam e vão te caçar até o seu fim.

Há inúmeros relatos de diferentes vulnerabilidades em um morto-vivo, sobre sua capacidade de locomoção, manipulação de mecanismos simples, como maçanetas e gatilhos, e capacidade de organização em grupo. Há muita confusão a respeito, mas todas as vertentes concordam em um ponto: mire na cabeça e não erre.

O protocolo Bluehand

Após iniciada a insurreição zumbi, há um protocolo que protege aqueles que o seguirem, sendo a última esperança de sobrevivência e continuação da raça humana: o protocolo Bluehand.

O Protocolo Bluehand é muito simples, como todo guia de sobrevivência deveria ser:

  1. Encontrar e proteger Bluehand. Ele é a única esperança da humanidade.

Para saber mais consulte o NerdCast #106, sobre Zumbis.

Itens colecionáveis

Se você tem um item colecionável, como uma réplica do DeLorean, um Jack Bauer[bb] chutando uma porta, uma miniatura de Predador, a regra básica é: se você o retirar da caixa, ele vai perder seu valor como item colecionável. Para saber mais, consulte o filme “O Virgem de 40 Anos“.

Flying Spaghetti Monster

Flying Spaghetti Monster no Futurama

A igreja do “Monstro Voador de Espagueti” se desenvolveu secretamente por milênios, até ser exposta publicamente em 2005. O deus é um monstro formado por espagueti e duas almôndegas. Com milhares de adeptos e adoradores, a Igreja do FSM (Monstro Voador de Espagueti, em inglês) é uma religião reconhecida inclusive por seus oponentes, os cristãos, que aceitaram que o FSM tem bolas maiores que as do seu deus.

A história acima foi criada como um protesto à decisão do estado do Kansas, nos EUA, de ensinar Design Inteligente, uma variação do criacionismo, como alternativa à teoria evolucionista nas escolas públicas. Diante da decisão, um grupo de ativistas criou a religião do Monstro Voador de Espagueti e iniciou pedidos para sua história ser ensinada nas escolas. A história ganhou peso e simpatizantes na Internet, se tornando uma “religião” organizada, com igreja, camisetas, canecas, reuniões e outras características de um grupo estruturado.

Every time you masturbate… God kills a kitten. Please, think of the kittens.

No início dos anos 2000, surgiu uma campanha humorística na Internet com a foto de dois monstrinhos Domo-Kun perseguindo um gatinho e a frase “toda vez que você se masturba, Deus mata um gatinho. Por favor, pense nos gatinhos”.

A história ganhou peso na Internet, gerando incontáveis paródias e atualizações, inclusive com alterações no motivo da morte dos gatinhos, como:

  • Toda vez que você programa em Java, Deus mata um gatinho.
  • Toda vez que você usa pochete, Deus mata um gatinho.
  • Toda vez que você come espaguete… O Monstro Voador de Espagueti adiciona uma aula de pseudociência na escola. Por favor pense nos estudantes.

LOLCat Speak

Lolcat SeriusOs norte-americanos são fascinados por gatos, essa admiração fez com que surgissem imagens de gatos em situações inusitadas, juntamente com legendas escritas em inglês macarrônico.

Esse jeitinho de escrever errado gerou o LOLCat Speak, um idioma que se expandiu inclusive na forma de linguagem de programação, e tem até sua própria versão da Bíblia.

É comum dizer que os gatos querem cheeseburger, os cachorros querem hot-dog, que há o gato do porão (o diabo) e o gato do sotão (Deus), que eles não gostam de banho, entre outras peculiaridades dessa brincadeira.

Frases em LOLCat

  • Oh hai. In teh beginnin Ceiling Cat maded teh skiez An da Urfs, but he did not eated dem. – LOLCat Bible, Genesis 1:1.
  • im in your computer stealing your internets
  • i can haz cheezburger
  • i made you a cookie, but i eated it
  • i luv u
  • all ur base r b-long 2 us

All Your Base Are Belong To Us

Vilão Cats diz: All your base

O jogo Zero Wing foi traduzido do japonês para o inglês. A tradução, feita às pressas, deixou escapar algumas sentenças cheias de erros de transliteração.

No início do jogo o vilão CATS ameaça o jogador dizendo: All Your Base Are Belong To Us. Essa frase virou o símbolo da má-tradução do jogo e ganhou vida na internet, se tornando um meme que persiste por mais de uma década. Outras frases do jogo incluem somebody set up us the bomb, for great justice, e a terrível ameaça you have no chance to survive make your time.

Ninjas vs Piratas

Imagem com vantagens de Ninjas vs Piratas

Ninjas são muito mais legais. Ponto.

Calma, tá tudo bem agora

LordEternal, um rapaz de 23 anos, contou seu sonho num fórum da Nintendo:

Entei no MSN diz: ta tudo bem agoraeu tava andando num lugar muito estranho, parecia uma caverna, e tava escuro, e eu tava sozinho, andei muito até ver uma saida, quando deixei aquele lugar, vi que era um canion e dava para ver o fundo e a terra era muito seca e eu continuei andando, até que derrepente eu encontrei o entei[bb] na minha frente, nossa eu respirei muito em paz, até conversei com ele ” entei vc ta aqui?!? ” e ele falava ” ta tudo bem agora ”

eu tinha nessa epoca uns 23 anos por ae, mas sempre tive esse pokemon[bb] como um protetor para mim, quando passo por um problema qualquer eu penso ” serei forte igual o Entei ” o terceiro filme é o meu preferido por sinal justamente por ter o Entei.

_ Calma, tá tudo bem agora.

Textos relacionados:

Deixe sua opinião

10 comentários

  1. Chantinon comentou:

    Hahahhaha!!!!!
    Cara, se você queria fazer ode em prol das pirinerds, bastava dizer que é nerd, elas já acreditariam… bastava dizer que sabe instalar um Antivirus.
    Mas com esse texto, tá confirmado, hard nerd :)
    Muito bom!

  2. Vinícius Theodoro comentou:

    Lendo o post eu encontrei a saída pra fazer uma tatuagem nerd e bem discreta: um simples 42

    Belo Post!!

  3. Elcio comentou:

    Muito bom!

    Faltou o “It’s a trap”

  4. Renato comentou:

    Aprendi muito aqui. Ótimo texto, parabéns!

  5. Gian comentou:

    Muito legal esse post, bem explicativo!
    A do “Here be dragons” eu não conhecia, talvez pelo fato de não programar.. =D

  6. Ditados e Girias comentou:

    Interessante os detalhes da cultura nerd, rs.

  7. Fábio Silva comentou:

    Legal o post, não conhecia essa história por trás do “tá tudo bem agora”.
    Tá tudo bem agora!

    Abs.

  8. Fabio comentou:

    Quem quiser ser nerd de hoje em diante, tem muito o que estudar. rs

  9. Marcelo Pereira comentou:

    Muito bom o texto, bastante informativo e divertido.