Marco Gomes

Geek, imigrante, nerd, cristão, biker. Founder da boo-box (vendida) e do Heartbit. Consigliere do JovemNerd

O que trabalhadores e pessoas brancas pobres precisam entender sobre pessoas brancas ricas

Publicado em 2018-08-31

Não, eu não estou falando do seu primo que dirige uma Mercedes, tem sua própria empresa de seguros e sempre paga a conta quando vocês saem pra beber. Eu estou falando das pessoas super-ricas.

Avião Boeing enorme, "The Donald" escrito na lateral da aeronave

Traduzo com autorização da autora o artigo “What Working-class and Poor White People Need to Understand About Rich White People“, publicado por Jonna Ivin em agosto de 2018. Apesar do artigo ser contextualizado nos EUA e ter alguns pontos que eu discordo, considero que a mensagem central é uma ótima contribuição para as discussões que temos no Brasil em época de #eleicoes2018.

Cena de filme com atriz falando "Cale a boca, eu sou rica."

Pessoas ricas não se importam com você.

Não, eu não estou falando do seu primo que dirige uma Mercedes, tem sua própria empresa de seguros e sempre paga a conta quando vocês saem pra beber. Eu estou falando das pessoas super-ricas: A família Walton, os irmãos Koch e, sim, os Trump. Eu estou falando das pessoas que continuam ganhando dinheiro nas costas dos pobres enquanto convence estes mesmos pobres a permanecerem leais não importa o que aconteça. Mas a verdade é que eles nunca vão compartilhar ou respingar o dinheiro deles em você – não importa o quão branco você seja, quão leal você seja, ou o quanto você apoie suas empresas ou seus políticos.

Quando uma família como os Walton, com uma fortuna acima de US$ 50 bilhões – é bilhão com “b” – está tranquila ao saber que seus empregados estão usando bolsa-alimentação e eles não fazem nada, isso diz muito. Isso diz alto e claro: Eu não me importo com vocês!

Quando Donald Trump topou fechar e levar à falência várias pequenas empresas porque ele não se importava em pagar suas próprias contas, tudo isso enquanto vivia numa cobertura banhada em ouro e voando por Nova York num helicóptero, isso gritava: Eu não me importo com vocês!

Criar empregos não é algo para ser elogiado.

Criar empregos bem-pagos é. Empresas bilionárias como Walmart e McDonald’s não criam economias ricas. Elas criam pobreza em massa. Qualquer um pode criar um emprego. Eu vou te pagar US$ 1 por hora para limpar minha casa, cuidar do jardim e manutenção geral, de segunda à sexta-feira, 8 horas por dia. Aí, eu criei um emprego. Contribuí em algo para a sociedade? Não. Ajudei a economia? Não. Tudo que eu fiz foi colocar uma pessoa na pobreza.

“Criação de empregos” nada mais é do que uma frase-de-efeito usada por políticos para ganhar votos. Não significa nada. Vamos dizer que há uma pequena cidade com 500 pessoas e uma fábrica é construída e paga salário mínimo. Se a empresa contratar todo mundo na área, o resultado não vai ser uma comunidade próspera. Vai ser uma comunidade com 500 pessoas pobres. Sim a fábrica tecnicamente criou empregos, mas também espalhou pobreza. Nunca esqueça que eles precisam de nós mais do que nós precisamos deles. Sem nós para trabalhar em seus empregos mal-pagos, eles não têm nada. Faça-os pagar o que é justo por seu trabalho. Faça-os criar trabalhos bem-pagos.

Pessoas pretas e pardas não são o motivo de você ser pobre, pessoas brancas ricas são o motivo de você ser pobre.

As corporações extraem dinheiro dos lucros para compartilhar com acionistas, a alta administração e os CEOs, deixando todos os outros, independentemente de cor, lutando na parte inferior por salários ruins. O dono da fábrica é a razão pela qual você é pobre, não a pessoa de cor trabalhando ao seu lado pelo mesmo salário. Não fique revoltado com o imigrante tentando construir uma vida melhor. Fique revoltado com a empresa que explora vocês dois para que eles possam pagar salários mais baixos e maximizar os lucros.

Não existe algo como “Rainha do Bolsa-Família”.

Nunca houve. Os políticos inventaram isso. É propaganda projetada para fazer você pensar que as pessoas de cor são preguiçosas e querem viver às suas custas. Se você se ressente, é mais provável que você vote para eliminar os programas que os beneficiam, mas que também podem beneficiar sua própria família. Gerações e gerações de pessoas brancas foram programadas para serem racistas, mesmo que seja para prejudicar a si mesmas. Ao ajudar a manter as pessoas de cor para baixo, você se mantém para baixo – e é assim que os políticos querem. Considere como este GIF usa propaganda racista para persuadi-lo a pensar negativamente sobre pessoas que precisam de ajuda do governo. (E não, um exemplo de uma pessoa comprando carne de primeira com bolsa-alimentação não prova que todo o sistema de Bolsas é corrupto)

A “Guerra às Drogas” e “A Guerra ao Crime” são mentira.

Esses programas miram nas comunidades minoritárias e mantêm o sistema prisional privado faturando bilhões. Como danos colaterais, os brancos pobres às vezes são sugados pelo sistema, mas não o suficiente para que alguém se importe. As pessoas pobres são canalizadas pelo sistema prisional através de confissões sob pressão. Pessoas encarceradas trabalham por centavos por dia em um comércio de escravos moderno, fabricando produtos para corporações que valem bilhões de dólares.

O sistema de reabilitação quase não tem programas para a reabilitação real, porque o sistema quer que os ex-condenados sejam reincidentes. É como eles mantêm o dinheiro entrando. A propaganda dessas falsas guerras tenta convencer os brancos de que negros e pardos cometem mais crimes, que os brancos deveriam temê-los e que o lugar deles é na prisão. Se você se permitir sofrer uma lavagem cerebral pelo racismo, o sistema continuará a atacar pessoas pobres de todas as cores. Pessoas ricas contratam advogados para sair da prisão. As pessoas pobres estão assustadas e pressionadas em acordos judiciais. E ninguém se importa até que isso aconteça com eles.

Pare de ouvir as pessoas que dizem que você precisa chegar no topo por seus próprios meios, especialmente se elas nunca precisaram usar seus próprios meios para chegar em qualquer lugar.

Este é um mito que pessoas ricas vêm dizendo aos pobres há séculos. É uma maneira de manter as pessoas pobres e da classe trabalhadora em empregos que criam mais riqueza para eles, não para você. É uma maneira de colocar as pessoas da classe trabalhadora e as pessoas pobres umas contra as outras. Em vez de mostrarem a compaixão uns aos outros e nos juntarmos, desprezamos qualquer um que consideremos “não trabalhar duro o suficiente” – mesmo quando essa mentalidade também nos prejudica. Trabalhar duro é admirável; ser convencido a se sentir preguiçoso, ou menor, porque você não tem oportunidades iguais, é manipulação.

Pessoas ricas não têm um modo de pensar mágico que as torne ricas. Eles não são melhores, mais inteligentes ou mais criativos do que pessoas pobres. Eles têm mais dinheiro e mais dinheiro oferece maiores oportunidades. É isso aí.

Não estou sugerindo que as pessoas não tentem melhorar suas vidas. Nunca desista. O que eu estou dizendo é: pare de se punir por enfrentar um caminho mais longo e mais difícil para ter sucesso do que alguém que nasceu em riqueza e privilégio. E tente ter compaixão por aqueles que estão lutando para sobreviver. Agredir pessoas que já estão exaustas não é apenas injusto – é cruel.

Pessoas brancas e ricas adoram ver pessoas pobres brigando entre nós mesmos.

Se não gostarmos um do outro em termos de raça, orientação sexual e religião, não estamos prestando atenção no que os bilionários e os políticos estão fazendo. Eles querem que você se irrite com bolos de casamento, quem usa o banheiro e o que dizer na época do Natal. Ao divulgar histórias da mídia que fazem você pensar que está perdendo alguma coisa, ou que seu estilo de vida está em perigo, elas podem mantê-lo concentrado em coisas que realmente não fazem diferença em sua vida.

Eu vou explicar assim: se eu lhe oferecesse US$ 5 a mais por hora em seu trabalho, com a condição de você não se meter em assuntos que não são diretamente ligados a você, como casais gays se casando, você aceitaria isso? Esta é outra maneira de ver: você preferiria um bônus de Natal de US$ 100 ou um bônus de festas de fim de ano de US$ 1.000? Quando respiramos fundo, pensamos com honestidade e nos perguntamos se realmente nos importamos com o modo como as outras pessoas vivem, a resposta geralmente é não. A gente fica revoltado com o impacto de manchetes chocantes, e é exatamente isso que as pessoas no poder querem.

Pessoas ricas convenceram as pessoas da classe trabalhadora que os sindicatos são ruins.

Os trabalhadores estão presos em empregos de baixa remuneração, sem poder sair e negociar melhores salários e benefícios. Veículos de mídia e jornalismo (pertencentes a pessoas ricas) contam histórias de greves sindicais como se os trabalhadores fossem preguiçosos ou gananciosos. Eles costumam mostrar trabalhadores de cor em piquetes para reforçar a noção de que negros e pardos querem “algo por nada”. Esta é uma maneira de minimizar os salários dos trabalhadores e maximizar os pagamentos aos acionistas e CEOs.

Se um(a) CEO ganha US$ 120 milhões por ano, em um ano tem o suficiente para nunca mais ter que trabalhar novamente pelo resto da vida. Eles(as) nunca mais precisarão trabalhar, nem seus netos ou bisnetos. A família inteira está garantida. Você acha que eles se importam se a empresa vai afundar? Por que se importariam, se já garantiram o deles? Se você perder seu emprego, você está garantido? As empresas gastam muito tempo botando medo nos trabalhadores, os convencendo de que o mais importante é a “saúde” da empresa acima de tudo. Esta é apenas uma maneira engenhosa de convencer os funcionários a aceitar menos, então os que estão no topo podem pegar mais. Qual é a melhor maneira de conseguir isso? Desmembre os sindicatos e tire o poder dos trabalhadores. Há poder nos números, e eles sabem disso, e fazem tudo o que podem para nos impedir de enxergar. Lembre-se: sem o seu trabalho, eles não têm nada!

Quando a série Friends se tornou um grande sucesso, chegou a hora de os atores renegociarem seus contratos. David Schwimmer, que interpretou Ross, foi ao resto do elenco e sugeriu que, em vez de negociar individualmente, o que poderia levar a ressentimento se alguns ganhassem mais do que outros, eles deveriam negociar como um único grupo. O resultado foi que o elenco inteiro foi pago da mesma forma e na mesma quantia. Foi igual e justo, e ninguém deixou o show por causa de sentimentos feridos ou ressentimento. Isso é uma união ou sindicato.

Há um mito de que aumentar o salário mínimo permitiria que trabalhadores não qualificados ganhassem tanto quanto trabalhadores qualificados e isso não seria justo.

Mais uma vez, isso é mais fiação de contos para que CEOs ricos possam manter o salário do trabalhador em um nível mais baixo, enquanto eles ganham bilhões. A verdade é que, se o salário mínimo aumentasse, os salários qualificados subiriam também. Como? Digamos que você seja um técnico de emergência médica (ou paramédico) trabalhando por US$ 15,00 por hora, e o salário mínimo aumenta. Agora todos que trabalham no varejo e em fast food estão ganhando o mesmo que você. Muito insultante, certo? Errado. Isso é o que as corporações querem que você pense, então você lutará para manter outras pessoas pobres para baixo. Se o salário mínimo subisse para US$ 15, você poderia conseguir um emprego em qualquer lugar pelo mesmo pagamento. Isso daria a você alavancagem para negociar um salário mais alto dizendo, essencialmente, “Há agora uma abundância de empregos pagando o que eu ganho. Eu posso sair e fazer um desses trabalhos, a menos que você me pague mais por minhas habilidades adicionais.” Suas habilidades agora valem mais. Em vez de US$ 15, você pode ganhar US$ 20, mas nunca receberá os US$ 20 se continuar lutando para manter os outros embaixo. Levantar os outros também levanta você.

Continuar apoiando os políticos que dão incentivos fiscais aos ricos nunca vai melhorar sua vida.

Quando uma empresa ganha bilhões em benefícios fiscais, as pessoas no topo ganham bônus multimilionários. Os trabalhadores na base da pirâmide podem (se tiverem muita sorte) receber US$ 1000 após 20 anos de serviço. São US$ 50 por ano! Um bônus único de US$ 1000 não fará nada para mudar a vida de uma pessoa que trabalha. Na melhor das hipóteses, aliviará um pouco o estresse por um mês. Um mês por 20 anos! Enquanto isso, CEOs e outros altos executivos estão se perguntando se deveriam comprar um iate ou outra casa de férias. Enquanto as pessoas pobres estão comemorando ao serem despejadas, os ricos estão atacando a mesa do bufê.

Se as pessoas pobres e da classe trabalhadora param de lutar umas com as outras e se unem, nós temos os números para fazer uma mudança real. As pessoas ricas sabem disso e isso as assusta. Se de repente começarmos a exigir melhores salários, eles podem ter que ceder um pouco do lucro. Se começarmos a exigir saúde e educação de qualidade, eles podem ter que pagar um pouco mais em impostos. Se começarmos a tratar um ao outro com respeito e igualdade, eles não poderão mais usar o medo, a homofobia, o racismo e a propaganda para nos distrair.

Nós temos o poder. Agora precisamos parar de desperdiçar ele.

Artigo escrito por Jonna Ivin-Patron: Founder @STIRJournal, writer – Will Love For Crumbs & Sister Girl. GOOD Magazine, Establishment, xoJane, Distractify, NPR, OPB, Forward Thinking Radio & TV One.

Textos relacionados:

Deixe sua opinião

Um comentário

  1. Michel Machado comentou:

    Excelente texto. Tudo bem que não dá pra concordar 100%, mas pelo menos uns 90% fazem muito sentido. Obrigado por traduzir e compartilhar conosco.