Leia capítulos sobre Marco Gomes e o Brasil no livro “Brilhante, Louco, Convencido”, de Sarah Lacy

“Como 1% dos empreendedores de mais sucesso lucram com o caos global”. Traduzi os trechos do livro “Brilliant, Crazy, Cocky”, onde a autora Sarah Lacy fala desde minha infância no Gama (DF) até os primeiros anos de empreendedorismo na boo-box.

Fiquei muito honrado em ser o escolhido para abrir o livro com tão inspiradoras histórias de empreendedores de mercados emergentes como China, India, Indonésia e Brasil.

Não acho que minhas batalhas estejam vencidas, nem me considero um empreendedor provado, ainda falta muito chão pra eu considerar a vitória conquistada. Mas é com muita humildade que mostro os trechos abaixo pra vocês, não para me engrandecer (toda honra e glória a Ele), mas para que sirva de exemplo para jovens que, como eu, nasceram e crescem em ambiente hostil e precisam de força para enfrentar as dificuldades.

Sarah Lacy é uma premiada repórter que tem abordado o empreendedorismo de alto impacto por 15 anos. Mora no Vale do Silício, foi editora sênior do TechCrunch, é fundadora do PandoDaily e viaja o mundo procurando grandes empreendedores.

Sarah foi ao DF, conheceu minha família e alguns amigos, comeu pão de queijo feito por minha avó, ganhou frutas da minha mãe, viu as ruas e praças onde cresci, conheceu meu sócio Marcos Tanaka e o trabalho da boo-box em tecnologias para publicidade e mídia social.

Brilhante, Doido, Convencido: como 1% dos empreendedores de mais sucesso lucram com o caos global

Sarah Lacy
Tradução amadora e não-oficial de Marco Gomes.
Revisão e edição amadora de Talita Ribeiro.

Capa do livro Brilliant Crazy Cocky de Sarah Lacy

Nada a perder

Quando Marco Gomes tinha cinco anos, seus pais o mandaram para uma escola em Brasília, a 40 km de sua casa. Ele ia de ônibus com o pai, que fabricava sofás para as pessoas ricas do outro lado do Lago Paranoá. Sua mãe  já o tinha ensinado a ler, mas ela não sabia matemática e queria que ele aprendesse na melhor escola pública que pudesse mandá-lo. Isso ela não podia encontrar no Gama, sua pequena cidade, e matemática seria importante para o Marco.

A aula acabava antes do seu pai terminar o trabalho. Então, Marco Gomes, com cinco anos, andava 1 km até o ponto de ônibus no meio da modernista-sessentista arquitetura da capital do Brasil. Todo dia sua mãe repetia seu nome e endereço em seu ouvido, até que ele pudesse repetir automaticamente quando perguntado, mas ele só conseguia fazer isso se dissesse tudo:

Marco Gomes
Quadra 34 casa NNN [endereço real suprimido por segurança :]
Setor Leste
Gama DF
Brasil

Ele repetia de novo e de novo para si mesmo, para não esquecer. Lembrar esse endereço era seu único caminho para casa. “Eu era como um robô”, ele fala, dirigindo por Brasília seu velho Fiat. “Treinado como um cachorro”.

Uma tarde, Marco dormiu no ônibus e perdeu o ponto de descida. No ponto final ele encontrou um policial, o puxou pela manga do uniforme e ordenou: “Leve-me ao seu general.” O policial impressionado levou o menino de cinco anos para o posto de atendimento, onde Marco falou ao superior o que tinha ocorrido e recitou seu endereço. O capitão levou para casa na cabine de um camburão, normalmente reservada para traficantes e ladrões — os que Marco conhecia em sua vizinhaça e entre seus parentes. O camburão andou pelo Gama com as sirenes ligadas, e seus vizinhos, assustados, saíram de casa para saber qual era o problema. Marco com cinco anos pulou fora do carro com sua mochila e disse “sou só eu pessoal!”

Lição 1: Não importa o que aconteça, eu posso resolver sozinho.

Marco Gomes bebê, no Gama

Marco Gomes bebê, no Gama, DF.

Marco parou de ir à escola em Brasília aos seis anos de idade. Sua família não podia mais pagar os custos das viagens de ônibus e de seu almoço todo dia. Ele sentia saudade dos professores. No Gama, muitas crianças não aprendiam a ler até a adolescência ou depois, e ele ficava entediado ao assistir as aulas com eles. Ele sentia saudade de correr atrás de pombos na Praça dos Três Poderes após a aula, com seus braços e pernas flutuando. Ele sentia saudade até do ônibus.

Marco entrou na casa dos pais feita com tábuas de madeira, uma das muitas casas que ele morou nos primeiros anos da sua vida. Seu pai estava debruçado sobre um prato no meio da sala. “Marco! Vai pro quarto!”, sua mãe gritou para ele. Seus olhos encheram-se de lágrimas. Ele não gostava de se meter em problemas e nem sabia o que havia feito.

Mais tarde ele perceberia que aquele prato estava com cocaína e que seu pai era um viciado. Aquele pó branco, do qual sua mãe sempre o protegia, era o maior culpado por seus pais não terem mais dinheiro para o ônibus. Era o motivo das brigas dos seus pais. Era a justificativa por seu pai ter perdido uma série de empregos. Nos anos seguintes, o homem que vendia aquela droga mataria a pedradas o primo do Marco. O índice de violência letal nas favelas do Brasil é comparável à uma guerra civil moderna. Nas piores áreas, uma em cada cinco pessoas perdeu alguém querido e muitas culpam a polícia pela inabilidade ou falta de vontade de controlar a situação. Marco perdeu apenas alguns amigos enquanto crescia, mas falar sobre morte no Gama era uma rotina, como falar do tempo.

“Lembra daquele cara que ficava na esquina o tempo todo?”
“Ouviu o que rolou com aquele cara da bike branca?”

Lição 2: O dinheiro rápido do tráfico de drogas brasileiro não era tão glamuroso quanto parecia.

Quando Marco tinha oito anos, um amigo o levou para uma igreja evangélica. O Brasil é o maior país católico do mundo, mas no final dos anos 90, o protestantismo evangélico ganhou espaço nas comunidades mais pobres do país, enquanto a visão conservadora católica oferecia pouca esperança. De 1991 a 2000, o catolicismo caiu 10% no Brasil e o protestantismo cresceu de 9% para 15% da população, de acordo com o Censo nacional.

Em lugares como o Gama, o movimento não acontece em igrejas luxuosas; ele se espalha em salões comerciais baratos, perto de lojas de conveniência ou barbearias. Nunca há uma cruz, pois isso é  um símbolo muito católico. Ao invés da cruz, você pode reconhecer uma igreja evangélica pelas fileiras de cadeiras plásticas simples e a bateria.

Marco se apaixonou pelo cristianismo evangélico. Ele gostava das histórias, das músicas, do sentimento de comunidade, da crença que havia algo maior — alguém lá em cima olhando e cuidando dele. Em um mundo onde seus semelhantes estavam sendo seduzidos pelo dinheiro rápido do tráfico de drogas, Marco achou Jesus viciante.

Certa noite, ele chegou em casa após o culto e seus pais estavam gritando um com o outro. Eles estavam a beira do divócio. Naquela noite ele começou a evangelizá-los. Com o tempo ele convenceu seu pai a largar a cocaína e a salvar o seu casamento. Seu pai está sóbrio desde então e, junto com sua mãe, é ministro evangélico no Gama. “Lá fora ainda era o caos, mas ao menos dentro de casa era melhor,” ele diz.

Marco não lembra o que disse de tão poderoso aos seus pais naquela noite. “Você pode ver pelo ponto de vista psicológico e dizer que as drogas tiraram tudo do meu pai e ele estava prestes a perder sua família”, diz Marco, doze anos depois. “Ou você pode ver sob o ponto de vista sobrenatural e dizer que Deus o salvou. Eu não ligo. O importante é que ele parou de usar drogas.”

Lição 3: Ninguém está fora do alcance da redenção.

Marco começou a montar computadores aos 12 anos de idade. Seus tios eram muambeiros, compravam brinquedos no Paraguai e os traziam pela fronteira do Brasil, onde os vendiam no mercado negro. Quando seus tios foram presos, eles passaram a contrabandear peças de computador; a maioria dessas peças eram pequenas e eles podiam remontá-las ao chegar no Brasil. Marco adorava fuçar essas peças quando seus tios dormiam, aprendendo sozinho como juntar os blocos de oportunidade e informação na forma de circuitos, placas-mãe, e discos-rígidos, como um duende consertando sapatos enquanto os sapateiros dormiam no quarto ao lado.

Alguns anos depois, um de seus tios estava correndo pela floresta com seis enormes monitores de tubo CRT pendurados no pescoço, foi quando ele decidiu mudar. Após outra prisão, ele legalizou o seu negócio, abrindo uma loja de computadores em um porão na Asa Norte de Brasília, perto de uma academia de artes marciais ensopada de suor. Ele ainda monta computadores baratos, mas agora com partes compradas em lotes, através de canais legais.

Marco trabalhava lá todo verão. Gritavam com ele quando cometia um erro e o sacaneavem sem compaixão, do jeito que garotos são tratados em uma família comandada por homens. Mas ele ganhava o suficiente para comprar revistas em quadrinhos e um skateboard, o que ele adorava.

O negócio de seu tio – completamente baseado em recomendações boca-a-boca – cresceu. Ele era o cara mais rico da família do Marco. Tinha várias casas, um carro e uma lancha, que usava pra navegar no Lago Paranoá – lago artifical cristalino, construído em parte para separar os homens ricos dos pobres. Um único ônibus de manhã pegava os pobres que trabalhavam para os ricos do outro lado do lago, e um único ônibus os trazia de volta a noite. Eles aprenderam a não perder este ônibus. Não há outra maneira de cruzar o lago a menos que você tivesse um carro ou uma lancha, como a do tio do Marco. “Era como em Baywatch,” diz Marco, acrescentando timidamente “mas, infelizmente, não tínhamos as garotas.”

Lição 4: O crime não paga, mas computadores pagam.

Aos 12 anos de idade Marco conseguiu sua primeira, lenta, conexão discada à Internet. Ele ficou extasiado como naquele primeiro dia na igreja. Essa conexão o apresentou a empresas como Yahoo! e Google, e ele leu sobre os ricos empreendedores americanos por trás dessas empresas. Ele começou a aprender sozinho a programar, não porque pensava que seria um desses empreendedores, mas porque  amava isso do mesmo jeito que amava quadrinhos e skateboards. A ideia de montar uma empresa de Internet era tão ridícula quanto pensar que ele se tornaria o próximo James Cameron, só porque amava os filmes do Exterminador do Futuro. A possibilidade sequer lhe ocorria.

Era como no passado, quando seu pai ainda fabricava sofás e Marco o acompanhava nas entregas em mansões multi-milionárias, do outro lado do lago. Crescendo em um mundo onde os graus de pobreza são medidos pelo que é feito as paredes de sua casa, Marco se impressionava com a ostentação. Ele viu uma TV tão alta quanto ele e ficou observando as formigas do comercial da Coca-Cola que passava na época. Na sua pequena TV em casa, ele mal podia dizer o que as formigas eram, mas naquela tela imensa elas eram gigantes, vibrantes e com vida. Ele mal podia tirar seus olhos da TV, mas não era porque a queria para si. Essa realidade era muito distante da sua vida para que sentisse qualquer coisa como inveja. Assim como abrir uma empresa de Internet, essa TV era para outras pessoas, não para o pobre e pouco instruído Marco Gomes.

Essa foi a Lição 5, só dessa vez a lição estava errada.

Marco Gomes e a Talita Ribeiro, minutos após o noivado em Paris

Marco Gomes e a Talita Ribeiro, minutos após o noivado em Paris

Dez anos após ele conseguir aquela conexão discada, Marco criou sua própria empresa de Internet, pegou investimento de capital de risco, mudou-se pra São Paulo e tornou-se um ícone para outros aspirantes a empreendedor de Web pelo país. No verão de 2010, Marco estava em um vôo para a Europa, onde pediria sua namorada em casamento em Paris, na França, e depois receberia um prêmio como empreendedor em Barcelona, na Espanha. Suas mãos suavam ao pensar nos dois eventos e, por mais que ele tentasse se conter, era notável sua mudança de vida.

Marco tem várias pessoas para agradecer por sua vida ter mudado tanto, considerando como começou: sua mãe, pela determinação para que ele estudasse; seu pai, por largar as drogas; seu tio, que o ensinou que empreendedorismo não era só pra traficantes; aquele amigo que o levou pra igreja; e, é claro, as pessoas que criaram a Internet. Mas, primeiramente, Marco tinha que agradecer ao século 21. Simplesmente por conta do quando ele nasceu, onde ele nasceu não importa.


Esse livro é sobre grandes empreendedores – o brilhante, o doido, o convencido, o focado –  pessoas que criam empresas que mudam vidas e fazem mais para tirar milhares da pobreza, do que a maioria dos programas governamentais ou organizações não-governamentais. Nós não estamos falando sobre empreendedores por sobrevivência operando com microcréditos. Esse livro é sobre os empreendedores de alto-impacto, que são os filhos da puta sonhadores, visionários, megalomaníacos e arrogantes, que vêem o mundo de um jeito diferente e criam empresas por motivos que eles nem sempre conseguem explicar, eles só não conseguem fazer de outra maneira. É o tipo de empreendedorismo que criou empresas como FedEx, Apple, Google e Microsoft e inspirou milhões que poderiam fazer igual. E agora, está refazendo o mundo.

Daqui mil anos, quando olharmos de volta para o século 21, a história dominante não vai ser dos países desenvolvidos usando os países emergentes como uma graciosa fonte de mão-de-obra barata e classes médias famintas por novos produtos e serviços. Vai ser a história da formação de um mundo novo, com superpoderes crus, violentamente e caoticamente tomando os pisos do mundo. E não será história de políticos. Será história de empreendedores como Marco Gomes.

Capítulo 8

Você sabe com quem está falando?

O Brasil não é uma economia em crescimento acelerado que deixa todos para trás, como a China. Nem sequer é uma economia em crescimento lento que um dia deixará todos para trás, como a India. Nem é um lugar que se supera economicamente graças a política inteligente e predisposta a correr riscos como Israel. Isso leva a um empreendedorismo que é uma mistura de empresas surgindo, aparentemente com pouco em comum umas com as outras. E, ao contrário de Israel, China e India, os Estados Unidos estão passando longe do seu crescimento. Mas o Brasil tem uma grande coisa a seu favor, que eu não achei em nenhum outro país: o pobre no Brasil sonha alto.


“Ah! Aqueles são meus amigos”, diz Marco Gomes, fazendo uma curva rápida e fechada. Nós estamos no Fiat surrado que ele dirigia quando morava no Gama, e uma placa escrito “Jesus, o segredo da paz” ainda está no painel. Marco para em um estacionamento onde quatro moleques sem camisa saltam de diferentes estruturas. É quase noite de sábado e, enquanto vamos passando por alguns adolescentes, Marco nota que o movimento já está rolando. “É a cena de paquera do Gama,” ele diz, apontando na direção deles. “Os homens param, ligam o som alto, as garotas dançam, e eles pegam uma.”

Marco Gomes praticando Parkour na Virada Esportiva em SP

Marco Gomes praticando Parkour na Virada Esportiva em SP

Seus amigos estavam fazendo Parkour, um esporte de ginástica urbana popularizado online. Marco chega e eles todos sorriem.

“Fala sua bichona”, um deles fala em português, dando um aperto de mão que se transforma em um abraço.

“Vai se foder moleque”, Marco responde. É uma linguagem chocante para um cristão devoto, mas esse não é o Brasil que você vê nos cartões postais. Quando Marco estava crescendo aqui, certas áreas eram proibidas, marcadas por grupos de homens suando no sol escaldante com armas nos ombros. Algumas vezes, esses homens eram traficantes, em outras, policiais. Marco não gostava de chegar perto demais pra descobrir. Parecer durão é o primeiro passo para não levar um tiro. No entanto, depois Marco me diz, envergonhado, que está feliz por eu não falar português.

Um grupo local de Parkour foi ideia do Marco em 2008 [sic 2004], quando ele trabalhava em uma agência de publicidade em Brasília. Ele achou que seria uma boa distração para uma cidade satélite que tinha pouco além do emprego público e a tentação de cair no tráfico de drogas. O Marco cresceu e o Gama saiu da pobreza para a classe média, mas a felicidade ainda é poder trocar de carro todo ano e pagar TV a cabo. De acordo com ele, há apenas duas maneiras de fazer isso: trabalhando para o governo ou vendendedo drogas.

Quando Marco se mudou para São Paulo para começar a boo-box, sua empresa de anúncios online, 50 jovens estavam no grupo de Parkour. Desde que ele saiu, poucos permaneceram longe das drogas. As ruas podem ter sido asfaltadas e as casas de madeira viraram de tijolos, mas algumas coisas no Gama não mudaram.

O futuro do Marco nem sempre pareceu tão promissor. Ele saiu da universidade porque estava entediado e ganhou alguma experiência criando websites para pequenas empresas, como estagiário de uma agência de publicidade em Brasília. Ele ficou chocado com o valor que grandes empresas gastavam para construir websites simples, que ele construia há anos gastando quase nada. Com 19 anos ele era líder da equipe interativa.

boo-box: vitrine original

boo-box: vitrine original

Marco começou a fazer experiências com novos formatos de publicidade, e um chamou a atenção de blogueiros do Vale do Silício. Era uma caixa que blogueiros podiam embutir em textos e imagens relacionadas a produtos, que, com um clique, poderiam levar você a comprá-lo. TechCrunch, o blog que escreve sobre todas as empresas de mídia social que o Marco adorava, disse que a boo-box tinha potencial para ser comprada por Amazon ou eBay, e Marco – que nunca pensou que a vida de empreendedor era uma opção pra ele – foi às alturas. Eric Acher, um investidor de São Paulo, viu o post e ligou para o Marco, mesmo sem o conhecer. “Após uma conversa eu decidi  investir nele”, diz Eric. Foi menos a ideia, que na época era de um produto inovador. Foi o Marco. Havia algo sobre ele.

O tio do Marco – aquele que costumava contrabandear computadores até abrir uma loja – é o exemplo mais próximo de um empreendedor que o Marco teve na vida, mas nem ele consegue entender esse novo mundo de alto-impacto que o sobrinho vive.

“Ele te deu 300 mil dólares? Pelo quê?” seu tio perguntou, incrédulo sobre a primeira rodada de investimento.
“Por minha empresa”, Marco respondeu.
“Que empresa?”, seu tio protestou. “Você não tem empresa!”

Mas em pouco tempo, Marco tem mais de 20 funcionários [em jul-2013 são 50] e uma empresa maior que seu tio jamais teve.

Eu perguntei para a mãe do Marco se ela ficou surpresa quando ele saiu do Gama. Nós estávamos sentados em uma casa bagunçada, de dois cômodos, que o Marco vivia há alguns anos, enquanto seus pais trabalhavam a milhares de quilômetros de distância, no meio da Amazônia, perto da fronteira com a Bolívia. Ela estava fazendo maquiagem em uma sobrinha, que ia para uma festa a fantasia dos anos 60 naquela noite, desenhando longas linhas em suas pálpebras com um delineador líquido antigo. A bebê da sobrinha chorou nos braços de uma prima no canto. Sua mãe parou a maquiagem, olhou para o Marco, sorriu, e me disse que não ficou surpresa. Ela, também, sempre achou que havia algo especial nele. “É com o irmão dele que estou preocupada”, ela acrescentou sorrindo. Fica claro que o Marco sente um misto de culpa, orgulho e conforto quando visita sua cidade natal. Ele diz que se a boo-box der muito certo, vai pagar para os pais trabalharem como missionários na Amazônia por um ano.

Marco Gomes sendo entrevistado por Daniele Suzuki

Marco Gomes sendo entrevistado por Daniele Suzuki

boo-box é uma rede de anúncios online que agrega espaço de propaganda de milhares de blogs, perfis de twitter, vídeo, e qualquer outra mídia online, oferecendo aos anunciantes uma enorme massa de audiência de mídia social brasileira, espalhada por milhares de sites. De uma perspectiva do Vale do Silício, esse negócio estaria condenado à morte, mas ainda é novidade no mercado de 2 bilhões de dólares de publicidade online no Brasil, e a boo-box tem uma abordagem bastante criativa, constantemente experimentando novos formatos, que anunciantes podem comprar. O Brasil tem aproximadamente 25% de penetração de Internet, então há muito espaço para crescer.

Muitos americanos veêm publicidade como um irritante pagamento para consumir informação grátis, mas Marco chama isso de coluna fundamental do capitalismo. Ele acha que qualquer um publicando qualquer coisa online deveria ter o direito de ganhar dinheiro por isso – mesmo que sejam moedinhas por twitts. No Vale do Silício, muitas pessoas acham que a ideia de sugerir produtos para seus amigos é mercenária e imoral. Mas vendo a vida da qual a Internet catapultou o Marco para fora, tudo se torna diferente. Para o Marco, é sobre dar poder a qualquer um conectado à Internet para achar sua própria saída.

boo-box e Marco Gomes na revista Imagine

boo-box e Marco Gomes na revista Imagine

Eu esperava que o empreendedorismo feito na favela fosse um grande tema neste livro. Há algo sobre não ter nada a perder que te faz arriscar-se mais e te deixa mais faminto. Empreendedorismo é sobre mudar o status quo e os mais excluídos são logicamente os que estão empurrando mais forte para esta mudança.

Muitos empreendedores – como o Marco – não esperaram a pacificação chegar. Eles são exceções, mas há uma geração de empreendedores brasileiros nascidos nas favelas que, um a um, usaram o que tinham pra criar uma empresa e uma nova vida. É cada vez mais uma terceira opção para o violento, mas poderoso tráfico de drogas, e a vida como um cristão evangélico com um trabalho virtuoso e mal-pago. Para o Marco foi a Internet. Para a Zica Assis foi seu cabelo pixaim.

Pra continuar lendo a história de Zica Assis e muitas outras, compre na Amazon o livro Brilliant, Crazy, Cocky em papel ou o eBook para Kindle (leia no seu smartphone, tablet, computador ou no próprio Kindle).

Gostou? Deixe seu comentário abaixo :)

Quer saber mais? Você pode entrar em contato por e-mail ou me perguntar o que quiser no Formspring.

Deixe sua opinião

  1. Chorei e confesso que estou sem palavras, apenas agradeço ao Senhor pela sua vida.

    “Num mundo onde seus pares estavam sendo seduzidos pelo dinheiro rápido do tráfico de drogas, Marco achou Jesus viciante.”

    amém

  2. Pingback: startupi » Inovação para lucratividade: hoje tem mais BR NewTech Meetup

  3. Marco vc é um grande exemplo do que Deus e acreditar nele e em si mesmo podem fazer por um homem.

    “A palavra convence a alguns, o testemunho arrasta a centenas”.

  4. Parabéns, Marco. Nós temos o poder de mudar as nossas e muitas outras vidas… o que precisamos é ter coragem de fazer o que é preciso.

    Quando terminei o colégio, minha professora e paraninfa disse:
    “Desejo que vocês sejam corajosos, porque o mundo já tem covardes o suficiente.”

    Sempre lembro disso.

    Muito sucesso a você e todo seu staff!

  5. Parabens cara,

    Muito orgulho em saber que um cara que saiu daqui do Gama chegou tão longe com talento e muito trabalho.

  6. Meus Olhos se encherram de lágrimas, pela sua história de vida, por Jesus Cristo ter feito a Diferença, por sua fé e determinação ter salvo o casamento dos seus pais, infelizmente pra mim foi tarde, quando conheci o Cristo, meus pais já haviam se separado.

    Você é um exemplo a ser seguido, respeitado e admirado, que Deus continue sempre guiando seus passos.

    Parabéns cara !!

  7. Marco,

    Já sabia que você era um empreendedor de sucesso e um cara diferente, ou melhor, diferenciado, mas não sabia da sua impressionante história de vida, de tantas dificuldades, mas também de tantas superações.

    Parabéns pela força e perseverança, que mesmo em meio aos problemas, você foi a luta e buscou soluções!

    Grande abraço,
    Lucas Arruda

  8. Parabéns Marco!
    Respeito muito.
    Morei minha infância no Gama e estudei na L2 Norte.
    Sei como é pegar busão do Gama para o Plano!
    Sucesso pra ti parceiro!
    O coração do homem planeja o seu caminho, mas o SENHOR lhe dirige os passos. (Pv. 16.9)

  9. Pingback: Alô você « Eu sou você amanhã

  10. Só esqueceu de falar que tinha o cabelo verde, se auto intitulava M16 e era odiano na internet, principalmente no Picolinos.

    Parabéns cara! Sorte ai na vida!

  11. Não sei nem o que dizer…
    Só sei que tenho muito ORGULHO por fazer parte da sua história e poder ver suas conquistas!
    Te amo muito primo

  12. Impressionante e inspirador, Marco!!

    Faço votos que você faça ainda mais sucesso e que sua história de vida fortaleça muita gente!!

    Um forte abraço,

    Bruno

  13. É uma Bichona mesmo! Mas é uma bichona minha amiga! =D Força e Honra Parceiro! A rua é Nois!

  14. Parabéns o tio sempre estará torcendo pelo seu sucesso… Graças a Deus esse sucesso está só crscendo

  15. Pedro José Nogueira. 19 anos. Eunápolis – Bahia.

    Eu acabei de escutar novamente no Nerdcast sobre empreendorismo, e decidi visitar o site de cada um dos participantes deste nerdcast. Vendo os sites de cada um achei muita coisa interessante, mas nada como isto.

    Assim que abri o seu site Marco, e comecei a ler o primeiro post, eu fui ficando pasmo e boquiaberto a cada linha que lia. Você, como muitos empreendedores de sucesso, não veio de uma familia aristocratica ou é herdeiro de um negócio, e sim construiu o seu “imperio” (será que ja posso chamar a boo-box de imperio ?) com suor, trabalho e neuronios. Você é a prova de que o conhecimento pode salvar qualquer um, e que a educação pode mudar a realidade das pessoas.

    Hoje vivemos em uma era de libertade e divulgação de informações sem precedentes na historia da humanidade. Ler, assistir, ouvir, enfim, aborver qualquer tipo de conteúdo está a 2 ou 3 cliques de distancia. O problema é a mentalidade. A maioria das pessoas não tem este mesmo pensamento de que a internet é uma mina de ouro de informações gratuitas. Para a grande massa de internautas brasileiros, internet se resume a serviço de mensagens instantaneas e redes sociais.

    Se pudermos mudar a mente das pessoas, para que elas vejam alem dos seus horizontes, e invistam no conhecimento, vai ser o primeiro passo para elas se mudarem e mudarem o seu meio para melhor.

    Eu estou emocionado pra caramba enquanto escrevo isso. Eu ja te admirava só pelo Nerdcast, mas agora te admiro e respeito 101% a mais do que antes. Eu quero mudar o meu meio, quero fazer a diferença na sociedade de uma maneira positiva, e são exemplos como você que me inspiram a ter esta mentalidade.

    Um grande abraço Marco. Você merece.

  16. Brilhante!!!! É a única palavra que me vem à cabeça agora.
    Parabéns pela história de vida sensacional.

  17. Pingback: startupi » Innovation for profit: another BR NewTech Meetup

  18. Há 8 anos eu só conhecia parte dessa história, só achava o Marco um cara divertido, inteligente e “conectado”, não fazia idéia do seu potencial para mudar o mundo, aquele que está ao seu redor e o nosso particular.
    Felizmente, ele é corajoso e decidiu encarar a selva de pedras e poluição paulistana, conquistou muito mais do que podia imaginar e… me conquistou.
    Acompanhá-lo de perto, no dia a dia, me fez admirá-lo ainda mais. Por seu caráter, companherismo, calma e sabedoria. É um prazer e privilégio estar ao seu lado. Pra sempre.

    Que Deus continue nos guiando.

  19. O mais interessante nessa história é que ela difere pouco – pelo menos a primeira parte – da história de outros tantos Marcos, joãos ou Paulos (leia-se, todos nomes bíblicos. ;-P) que existe no Brasil, e porque não, em outros lugares do mundo. Contudo, para mim, mais importante do que enfrentar longas distâncias para chegar à escola, gravar – mais por osmose e menos pela necessidade – o endereço onde morava, mostrar destreza e autonomia para pedir ao policial que o levasse para casa, ficar exposto a brigas entre os pais (que mesmo não sendo a melhor das maneiras, expunha o amor da sua mãe por eles [filhos] e pelo próprio pai), e ser conhecedor, ainda que o olhar infantil estivesse presente, do que tomava a racionalidade necessária a um pai, amigo ou apenas humano, que são as drogas. Tudo isso poderia significar bem pouco, se ele (sim, você Marco) não fizesse bom uso da idiossincrasia que nos distingue. Ou seja, sua forma de ver e sentir as coisas – embora sejam as mesmas coisas que outros vêem e enfrentam – corroborou para você ser o Marco Gomes é que hoje.
    Confesso a você que não estou nem aí para a empresa Google, Facebook, Twitter, Boo-box, Peixe Urbano, Apple, Groupon ou qualquer outra que existe, e que são apenas consequência da força de vontade, do convencimento e do conhecimento. O que me chama atenção de fato é o símbolo de que as conseqüências dos nossos atos podem ser as melhores, e, que podemos ajudar outros, não só com nosso exemplo, mas também com ações efetivas. Nenhuma dessas empresas seria o que são hoje, no imaginário humano, se os empreendedores por trás delas, não contribuísse de alguma forma para mudar a vida de outras pessoas.
    Embora não seja um ávido leitor de livros de auto-ajuda, gosto muito das palavras da mãe de Roberto Shinyashiki, que disse: Não importa de onde você vem, o que realmente importa é aonde você quer chegar.
    Abraço Marco e meus parabéns.

  20. Parabéns pela história de vida inspiradora e fodástica, mostra para todos que o momento em que vivemos qualquer pessoa com idéia, determinação e muito trabalho pode fazer acontecer algo bom, independente da origem desta pessoa!

  21. Escrevi e apaguei umas 20 vezes e ainda não sei bem o que falar…

    Na verdade eu sei, te admiro pela sua força e agora mais ainda depois de saber um pouco mais da sua história. Pois, apesar de te conhecer há alguns anos e sermos cumpadi e cumadi, não sabia alguns desses detalhes da sua vida. Parabéns pelo livro e obrigada por me iluminar e molhar meus olhos com suas palavras.

    E olha, torço muito para continue sendo essa pessoa forte e abençoada. Sucesso na nova etapa da vida que está chegando em outubro. Sabe que podem contar com os amigos nerds sempre, né? :)

    Beijo!

  22. Fala Marcos, parabens cara, conhecia metade dessa história ai pelo que você já havia contado no nerdcast!
    Já te falei que você é referência pra mim, isso só potencializou ainda mais!
    Sucesso ai cara, que você continue crescendo sempre!
    Abraços

  23. Grande Marco,

    Parabéns pelo caminho e pelas conquistas. Você é um exemplo vivo que
    empreendedor é aquele que transforma o limão em limonada.

    Que continues a ser este exemplo de empreendedor, cidadão e filho!

    Pierre

  24. É, garoto.

    Quem nasceu e cresceu na periferia, lê essa história e tem mais certeza de que suor e aprendizado alavancam sonhos.

    Já te admirava muito. Agora, ainda mais.

    Um abraço,

    Zinho

  25. Parabéns Marco,
    Fico feliz e orgulhoso da sua história compartilhada conosco, inspira e revigora além de ser um exemplo de vida e superação.
    Abração

  26. Marco Antonio Ramos de Oliveira (21 anos) – Belo Horizonte

    W-o-w. Sem palavras, Marco.

    Comecei lendo despretensiosamente, terminei boquiaberto. [2]

    Mano, não sei mesmo o que dizer, só sei que depois de ver a palestra na Campus Party 2011, ouvir o Nerdcast sobre empreendedorismo (expresso empreendedor) e ler este texto, eu simplesmente senti que não posso ficar indiferente a isso!

    Quer dizer… Cara! Você é isso tudo que falaram aí mesmo.. Exemplo de superação, dedicação, inteligência, criatividade, honestidade, e mais: influência do AMOR e PODER de DEUS na VIDA DO SER HUMANO!

    Você não sabe o mestre Jedi que você se tornou pra mim agora… Algo do tipo daquela admiração que tenho pelos professores de escola dominical que tive na vida misturado com mestre Miyagi!!!

    Coincidência ou não, também me chamo Marco, estou no penúltimo semestre de Publicidade e Propaganda, sou nerd e cristão!
    É, nem sei onde quero chegar com isso… No momento essas coincidências, mais sua história de vida, mais do que me emocionar, me deixam é absurdamente feliz, saber que um Marco nerd, crente vindo da publicidade venceu na vida e foi abençoado ricamente por Deus! Isso só vem a confirmar e aumentar minha fé em Deus, que sim, tem também um plano maravilhoso pra mim!

    Enfim, cara, se eu ficar mesmo nesse mundo da publicidade aí mesmo (digo isto, pois meus sonhos mesmo são trabalhar com desenho, mangá, quadrinhos, games, character design, enfim, qualquer coisa nesse mundo de anime/mangá e games japas), eu quero trabalhar com a boo-box! Até que um de meus sonhos assuma formas mais palpáveis, te garanto que nas agências por onde eu passar, irei recomendar e contratar (ou contatar, whatever) a Boo-box!

    Resumindo, um dia ainda vou acabar trabalhando com você direta ou indiretamente! Ou seja… É nóis, mano!!

    Parabéns para você, à Boo-box e obrigado pela sua dedicação, pela sua EPIC WIN e que Deus continue mandando pra você, pra empresa, pro seu bairro, cidade, pro nosso Brasil chuvas de bençãos!!!

    Que a força esteja com você!
    Abraço e Paz do Senhor!
    o/

    #NerdPower
    #OrgulhoNerd

  27. Uau Marco,

    Que faceta surpreendente da sua vida. E que texto legal da autora. Que você continue fazendo as coisas acontecerem na sua vida e na vida das pessoas.

    abs

  28. Pingback: Campus Party Brasil 2011 – Dia 4 | Elemento 42

  29. Marco, eu só fui começar a ouvir essas histórias do seu passado essa semana, até então não fazia ideia. Sei lá, provavelmente eu vou me expressar de maneira bem errada aqui, mas eu já te admirava e achava um cara fodástico sem precisar saber desse passado. Agora tenho mais motivos pra ser seu fã, mas eu nem precisava. Você é um cara genial e 100% do bem, hoje, agora, sempre. Agora peraí que caiu um cisco no meu olho, vou ali.

    • Era exatamente isso que eu queria dizer.

      Já te admirava como um jovem genial e, na Campus Party foi que comecei a escutar a tua história. Hoje pude conhecer mais ainda e… CARA, parabéns mesmo, tu é inspiração pra muita gente aí, tomara que todos possam conhecer a tua história e se inspirarem mais. Parabéns!

  30. caramba… Sem palavras…Não canso de fazer propaganda e dizer o quanto admiro a ti.

    Acho que cada um aqui se perde em lagrimas pois nos vemos em ti. Vemos que foi uma historia construida com fé.. fé que poderia dar certo.. fé em teu trabalho…

    Estaremos aqui sempre curtindo teu sucesso, vibrando a cada vitória. Desejando sempre o melhor para ti e a para a boo-box.

    Apenas uma pequena critica ao texto.. Parece que é apenas um lado de bom e mau, mocinho e bandido. Entendo que ela escreve pra quem ta foda do Brasil, mas ela tem uma pegada forte demais na luta de classes, parece ter uma formação marxista… Mas como falei.. entendo, pois precisa vende rum livro.. E não é somente de boas historias.. é de boa escrita que estamos falando.

    Abraços.. E mantenhamos contato.

  31. Ficou boa a tradução :)

    Também quero dar um rolê no fiat agora! Inventa uma desculpa para eu ir para brasília ae (preciso conhecer). Quem sabe um barcamp ou hackday…

    Sucesso rapaz!

  32. Marco,

    Parabéns!!! A sua história é inspiradora!!! Desejo toda a sorte, sucesso e felicidade do mundo para você e para a boo-box.

    Abraços.

  33. Como diz o Azaghal, “cada país tem o Justin Bieber que merece”. Marco, o Justin Bieber dos nerds.
    Parabéns e continue empreendendo e servindo de exemplo para quem não se contenta apenas com “sonhar”.

  34. Que isso seja só a chamada no portão de embarque. O vôo mais promissor ainda está por vir, porque a passagem vc já comprou quando resolveu acreditar na idéia ;)

  35. Marco, vc certamente não vai lembrar de mim, mas estivemos algumas vezes juntos em SP. Acabei de ler sua história. Fantástica. Se eu já te admirava sem saber obackground, imagina agora.

    Parabéns por tudo cara. Que nosso Deus abençoe você e Talita a cada dia.

    Um abraço!

  36. cara parabéns por não ter ficado à margem, por ter tido coragem pra atravessar pro outro lado da lagoa, e principalmente por aumentar a frota de ônibus que leva gente dum lado pro outro, até o dia que essa barreira não exista mais. Deus te abençoe cada vez mais, é isso ae.

  37. Como diz um amigo meu: “Perdi até a palavra!”.
    Fiquei com os olhos cheios de lágrimas ao ler sobre tua história, sobre tua família, sobre a transformação que o evangelho fez na tua casa… brother, lindo demais! Tudo para honra e glória DELE.

    Ainda continuo com o desejo de te encontrar um dia lá na vineyard capital.

    Abraços.

  38. Comecei a ler sem compromisso e terminei impressionado com tudo que você construiu. O minimo que posso é parabens! e que voce possa apoiar varios outros “marcos” que estao tentando trilhar o mesmo caminho que voce conseguiu!

  39. Mesmo sem conhecê-lo pessoalmente, o que mais importa nisso tudo é ver que vc é um cara do bem com real noção da imagem que passa e da responsabilidade de ser visto como um modelo para muita gente.

    Tudo o que vc está colhendo é só o início de muito que ainda há para ser conquistado.

    Abraço,

  40. Sucesso!

    Sou teu fã Marco, desde a época que era só um javascript para o buscapé, a muito muito tempo…

    Merece velinho.

    Jeferson Sigales
    twitter.com/JefMS

  41. Parabéns cara, tua história é inspiradora e realmente tocante, eu ainda hoje procuro onde morreu minha curiosidade e aquela idéia de que um dia ia conseguir fazer as coisas tbm, que bom graças a DEUS vc não perdeu isso e deu no que deu!

    Parabéns e sucesso cara ! E que a tua empresa seja o Principio de algo como o Silicon Valley no nosso pais, mas não voltado para máquinas, e sim para pessoas!!!

    Abração !

    http://twitter.com/D1ga0_RS

  42. Marco, eu já era muito teu fã cara.. depois de ler essa tua história então… não tinha a mínima idéia do passado do “fundador da boo-box” e ao ler esses trechos do livro só me fazem te adimirar ainda mais.

    Continue assim cara, sendo essa fonte de inspiração para milhares de jovens empreendedores (como eu).

    Abração e muito mais sucesso!

  43. Pingback: Boo-box « Mateus's Blog

  44. Pingback: Empreendedorismo da boo-box no livro “Brilliant, Crazy, Cocky” de Sarah Lacy

  45. Pingback: Visionário de vocação | Breno Barros Weblog

  46. Primo parabéns,me deu uma vontade de te abraçar e te agradecer, fiquei muito orgulhosa e inspirada,meu pai estava comentando de você hj,e resolvi te curiar,agora sou sua seguidora assídua rsrs,me ajudou muito.Não temos muito contato mas gosto demais de você e lhe desejo o melhor,muito sucesso em tudo na sua vida. Bjão Fica na paz do nosso Senhor!

  47. Marco, estou mto emocionado em saber sua história de vida, não sabia 1/3 de tudo isso, vc merece amigo!!! Parabéns, e que Deus continue sempre trazendo mudanças BOAS em sua vida!! Te admiro de mais!!

  48. Pingback: Professores digitais – e as mudanças sociais na educação | A Vida Como A Vida Quer (@avidaquer)

  49. Marco, parabéns, cara!

    Fiquei impressionado com sua história. Lembrei-me agora que, certa vez, numa aula de Computação Básica, Linf-UnB, vc nos mostrando algumas páginas simples feitas por vc em HTML. Quem diria que aquelas primeiras linhas de códigos te transportariam a esse patamar.

    Fico realmente feliz por vc, cara! Principalmente agora, por saber que realmente é um exemplo de superação. Merecedor!

    Abraço

  50. Parabéns pela sua história de vida, você é um exemplo de perseverança e superação. Mesmo vivendo em condições adversas, você foi capaz de vencer e chegar onde você sonhou.

  51. Subi o Alto Zé do Pinho com o Marco e percebi ele muito tranquilo naquela comunidade… hummm… percebi agora donde veio sua serenidade naquele lugar.
    Em frente comandante.

  52. Pingback: Marco Gomes – Histórias de um empreendedor « BlogPortal

  53. Marco, fiquei absolutamente surpreso ao ler a tua história antes da boo-box. Confesso que eu admirei tua capacidade de empreender com uma ideia simples, factível e inovadora a seu tempo e em seu local e tua bondade em agregar pessoas. Se antes eu tinha alguma questão sobre o que farias quando a concorrência ou o próprio ambiente mutante da web pudessem levar a boo-box para o escanteio, eu agora tenho certeza de que o segredo está mesmo na tua capacidade de inovar, calcada na manutenção da boa relação com teus valores e tua origem. Definitivamente, não há a palavra exata para definir minha admiração por ti e por teu trabalho! Obrigado por compartilhar este inspirador exemplo!

  54. Sua historia de vida inspira-me a continuar a trajetória, custe o que custar, e rever os ensinamentos do líder:”Jesus”. Parabéns cara que Deus continue te dando sabedoria inovadora.
    “…que o senhor faça resplandecer sua glória sobre ti.”

    Abs!

    PC

  55. Grande História de Vida!! Sem dúvida mostra que trabalhando duro em cima de grandes sonhos, alcançamos a grandeza. Parabéns por tudo que já conseguiu e desejo a você muitas outras conquistas como estas e até maiores.
    Abraço.

  56. Cara, Muito bonita sua história.
    Lí até o final, assim como você sou evangélico e empreendedor, aprendi programar sozinho e desenvolvo sites como freelancer e ganho uns trocados, quem sabe o próximo passo não é ter a grande idéia e criar menha empresa na internet??

    Muito bom.

  57. Pingback: Estou no livro “Brilliant, Crazy, Cocky” sobre empreendedorismo em mercados emergentes | Sucesso nos Negócios

  58. Parabéns menino homem !!!
    Vc serve de inspiração para aqueles que se acham derrotados.
    Que Deus lhe abençõe sempre.
    Jefferson Neves

  59. São quatro lados igualmente importantes: por um lado merece parabéns, pelo segundo lado merece palmada, pelo terceiro lado tiro o chapéu, pelo quarto lado só posso lamentar e ficar feliz. É isso!

  60. Pingback: Análise do Modelo de Negócios « Startup Business Model

  61. Pingback: Análise do Modelo de Negócios – Boo-Box « Startup Business Model

  62. Sensacional a história. Mas só os diálogo com o tio sobre os 300 mil dolares ja é impagavel!! Muito bom.

  63. Legal… gostei de ler as partes do livro! Espero ler muitas outras histórias sobre vc e a boo-box. Legal a mudança de vida do seu pai! Parabéns! Que Deus continue sempre te iluminando!

  64. Com certeza um exemplo para muitas pessoas! “Não importa o que aconteça, sei que posso resolver sozinho.”

  65. Marcos,

    Conheço um pouco de sua estoria…de sua criatividade…do seu trabalho…
    Mas , o que me emociona, é a ternura de suas palavras relatando suas superações…
    Sucesso meu querido!!!
    Abraços

  66. Marco, eu já conhecia um pouco da sua trajetória, o suficiente para te admirar e torcer por você. Agora, mais ainda te admiro. Parabéns!! Deus continue sendo o maior investidor na sua vida e a razão dos seus investimentos. Um abraço

  67. Marco,
    Sou uma das suas tias que sempre percebi o seu potencial,
    a sua inteligencia sempre foi evidente.E vc meu filho vivia
    anos Luz a frente,seu tio sempre fica emocionado quando lê
    seus relatos sobre ele.Palavras singela e delicadas.
    Parabéns meu filho,Que o Espirito Santo esteje
    presente sempre em sua Vida.
    Ana Paula Lima.

  68. Parabéns meu velho, realmente sua história de vida motiva qualquer um. fiquei sabendo de vc através do pastor Gildázio Júnior que está aqui em Natal RN. Exemplo pra mim. Parabéns!

  69. Marcos parabéns pelo sucesso!
    Li a reportagem “Jovem da periferia comanda agência que atinge 80% dos internautas.”, no Folha.com e considerei um absurdo chamar o Gama de cidade da periferia, das mais violentas. Quem pensa assim é porque não conhece.
    Assim como você, a cidade não ficou parada no tempo, ela se desenvolveu. Nunca abandonamos, nos unimos em busca das melhorias e conseguimos grandes vitórias. Hoje, além do campus da UnB, temos outras faculdades. Somos bem servidos no que diz respeito à infraestrutura e serviços urbanos.
    A comunidade é ordeira, trabalhadora, valoriza o Gama e consegue superar as adversidades, caso haja!
    Violência há em qualquer lugar e você que mora em São Paulo, sabe bem disso. Eu o entendo porque o problema era dentro da sua casa, com a sua família.
    Considero exagero dizer que nos anos 90, não podia encontrar boas escolas públicas no Gama que pudesse ensinar matemática. Conheço inúmeras pessoas que passaram por dificuldades, estudaram em escolas públicas do Gama e agora são bem sucedidas e valorizam a cidade.
    Você uma pessoa bem sucedida, não precisa fazer comentários emotivos para ser valorizado. A nossa cidade também superou muitas dificuldades e não deve ter a sua imagem maculada.
    Desejo a você muito sucesso nos seus empreendimentos e espero que você não deixe que pessoas desinformadas possam manchar a imagem do Gama.
    Saudações de PAZ e BEM
    Rosangela RiCo

    • O Rosangela,

      Sobre “periferia”, o Gama sempre foi (e sempre será) da periferia de Brasília. Periferia é o que fica em região periférica, em volta.

      Sobre violência, não se trata de discurso emotivo, se trata de colocar as coisas em perspectiva. Na época eu não notava, mas hoje sei que o Gama era sim muito violento.

      Como você deve ter lido no texto, quando eu estava crescendo perdi alguns amigos, familiares e até eu mesmo fui vítima das consequências do tráfico de drogas na cidade, portanto, não precisa tapar o sol com a peneira, a situação não era de segurança e ainda não é. O entorno do Gama já foi considerado um dos lugares mais violentos do mundo:
      http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2011/05/fantastico-registra-flagrantes-de-violencia-no-entorno-de-brasilia.html

      Enquanto a gente se ilude achando que o Gama é super bacana, seguro e cidade de primeira, os ricos gozam de conforto e verdadeira segurança no Lago Sul, Alphaville, Granja Viana.

      Ao mesmo tempo, sei que o Gama melhorou, e muito, nos últimos 15 anos, volto regularmente à cidade para visitar família e amigos.

      Obrigado pelo comentário :)

  70. Muuuuuuuito lokooooooooo, muito loko, muito loko, mui-to lo-ko!!!
    rs

    Parabéns manoo!! Me inspirou ainda mais!
    Glórias a Deus!!!

  71. Cara fico emocionado em ler isso pois quando começei a ler, entrei totalmente na historia ao ponto de ouvir o barulho do onibus. meu a maneira que foi descrita sua vida e espetacular. Parabéns mais não se esqueça de onde ele te tirou e para onde ele esta te levando toda honra e glória ao seu nome. Jesus.

    Abraços e sucesso.

  72. Parei um código de horas de desenvolvimento, para ler todo esse texto.
    Deve ser realmente gratificante, para você, servir de exemplo para qualquer pessoa que precise de uma saída para mudar de vida, assim como eu.

    Te desejo muito mais trabalho e sucesso em sua carreira.
    Grande abraço.

    @hafael_

  73. Marco, ouvi você no Nerdcast algumas vezes com o Alottoni e o Azaghal te zoando e já te admirava, mas nunca imaginei que sua história fosse tão sofrida.

    Parabéns por tudo que você conseguiu e muito obrigado pelo exemplo.

  74. Pingback: Brilliant, Crazy, Cocky « Tricotarde

  75. Muito bom!!!

    Engraçado como as pessoas param de acreditar em si mesmos diante de obstáculos tão pequenos e o Marco que teve uma infância tão sofrida conseguiu chegar lá.

  76. Muito interessante e inspirador, sei bem como é essa dura realidade da nossa cidade(Brasília), cheia de belezas e contrates sócias onde poucos tem muito e muitos não tem nada. Parabéns !!!!!

  77. Nossa cara, sinceramente a cada linha, a cada parágrafo e a cada pausa para respirar profundamente e pensar eu me senti estonteado, sinceramente, estou com motivação lá em cima, meu encéfalo foi a mil com essa leitura e fiquei emocionado, de várias forma, fiquei supreso e depois triste, feliz, com medo, com tudo, estranho, mas eficaz.

  78. Através de aventuras por toda essa vasta internet, já conhecia o Marco Gomes e a boo-box. Aliás, acho que foi por causa dos Nerdcasts de Empreendedorismo que os conheci.

    Sabia da história, mas muito por cima e ela é muito mais fascinante do que eu imaginava. Parabéns a você, Marco, por ser um exemplo de alguém que tinha quase tudo pra dar errado, mas se mostrou superior e escolheu um caminho certo.

    Seu sucesso é uma motivação para mim, admiro seu trabalho e torço muito por você.
    Parabéns, cara.

  79. Pingback: MRG 168 Cinema: O Ursinho Proibidão! | Matando Robôs Gigantes

  80. Cara, fiquei impressionado. Não sabia que você tinha passado essa barra toda e ainda assim na UnB você era o cara mais animado e sempre de bom humor… fiquei impressionado mesmo… você pode sentir orgulho de você mesmo cara, muito orgulho porque além de estar lutando a boa luta você está ensinando e inspirando o caminho correto para milhares, senão milhões, de pessoas… eu me incluo nessas pessoas e se tem uma coisa que eu aprendi lendo a sua história é que não existem desculpas para quem realmente tem um propósito. Que você continue eternamente nos inspirando com seu sucesso estrondoso! Me orgulho de te conhecer e de um dia ter assistido Grease no apartamento de um colega de faculdade com você =D.

    • Obrigado pelas palavras! Fico muito feliz em saber que, mesmo sem querer, inspiro outras pessoas fazendo meu trabalho, espero nunca decepcionar :)

  81. Muito boa a história, um rapaz de família simples que viveu no meio do mundo das drogas, se superou e cresceu de uma maneira difícil de acreditar.

  82. A história de vida de Marcos Gomes relata a sua incrível superação e genialidade,pois em meio a um ambiente de extrema pobreza,problemas sócio-culturais, influências negativas por pate de familiares e dependência química do pai, ele buscou soluções inteligentes e criativas para evoluir em seu processo de crescimento e desenvolvimento humano,estudando e trabalhando com seus tios e aproveitando a sua paixão pela tecnologia,utilizava seu trabalho para desenvolver e aperfeiçoar, cada vez mais, suas habilidades ao ponto de tornar-se independente,mudar-se para São Paulo e criar a Boo-Box,empresa de mídia digital que exibe propaganda para 80 milhões de pessoas por mês no Brasil, através de 370 mil sites, blogs e perfis nas redes sociais. Trabalha como programador e empreendedor. Excelente relato. Parabéns !!!

  83. Depois do que li só posso dizer “Parabéns Marco” e obrigado por mostrar que basta apenas acreditar mos em si mesmo e correr atrás…sucesso sempre e fuiiiiii

  84. Olá, Marcos!
    Parabéns pelo empenho e pela linda história de sucesso!
    Sou professor e bem mais velho do que você, mas já passei por muitos altos e baixos.
    Agora estou em Curitiba recomeçando do ZERO e exemplos como o teu são de extrema importância!
    Também sou cristão e creio que Deus tem tudo a ver com o nosso sucesso!

    Espero brevemente poder escrever meu livro também.

    Abraços,

  85. Marco, louvo a Deus por vc e que o propósito dele se cumpra em sua vida cara.
    Num mundo em que os homens são movidos pelo dinheiro e pela fama, saber que vc guarda o temor a Deus no seu coração certamente é o detalhe que te diferencia dos demais empreendedores.
    Um grande abraço e espero em breve te conhecer pessoalmente!

  86. Uma ótima história! Vencedor mesmo é o cara que escreve a sua própria trajetória. O dono do facebook Mark Zuckerberg, que além de já nascer mauricinho ainda “plagiou” a criação de outra pessoa, tendo inclusive passado a perna na própria equipe(da qual um brasileiro fazia parte) fica muito a dever perto de vc. Ganhou uma fã, o seu sucesso é um belo exemplo! xD

  87. Muito legal sua história de vida e superação. Quando o conheci me chamou muita atenção seu penteado dread e o brilho de seu olhar. Quem está com Deus no coração está com tudo, sucesso Marco.

  88. Parabéns Marco, sua história de vida é fenomenal e bastante inspiradora.

    Também sou de Brasília, não vivo nem vivi numa realidade sofrida como a sua, mas tenho certeza que todas essas dificuldades foram essenciais para tornar quem você é hoje.

    Empreendedorismo me fascina e ver histórias como a sua tão perto da minha casa inspiram em seguir em frente.

    “Empreender para mudar o mundo”

  89. Parabéns Marco, fico feliz ao saber que nós brasileiros jovens podemos fazer a diferença! Sucesso!

  90. Realmente meu filho é um vencedor, de onde ele estava para o q é hoje(e vai muito além). Só Deus mesmo, pra direcionar e ajudar nas escolhas. Me emociona ver todas as vitórias, as vezes choro,(coisas de mãe)…Parabéns meu filho, Deus te abençoe mais e mais!!!!

  91. Pingback: Deixa eu te falar uma coisa sobre os evangélicos… – Marco Gomes

  92. Pingback: Inovação para lucratividade: hoje tem mais BR NewTech Meetup - Startupi.com.br

  93. Pingback: Império do nada? Como? Só inovando! – In-Pulsa

  94. Cara! Assim como muitos, estrou extremamente emocionada com a tua história.

    Eu acredito na doutrina espírita e, por ser uma religião diferente da tua, poderia desvalorizar isso.. mas me dá uma felicidade indescritível saber que DEUS (independente da “ferramenta” utilizada, se igreja evangélica, católica, espírita, etc) guiou o teu caminho de forma a te tornar o que és hoje: esse exemplo de humildade e sucesso para os demais.

    És um ser iluminado, nunca duvide disso, e não estás nessa vida à toa.

    Todo sucesso do mundo, pois tu merece!