Marco Gomes

Geek, imigrante, nerd, cristão, biker. Founder da boo-box (vendida) e do Heartbit. Consigliere do JovemNerd

Conselhos para o empreendedor que está começando

Publicado em 2012-06-10

Cinco anos fazendo parte de uma equipe de empreendedores, aprendi sobre gestão de equipes, cultura corporativa, marketing, sociedade. Quero compartilhar este conhecimento e ajudar empresários iniciantes que enfrentam desafios parecidos.

boo-box e Marco Gomes na revista Imagine

Em dezembro de 2006 eu estava começando a empreender, modelando meu primeiro projeto, aprendendo sobre investimento, mercado, sociedade, clientes, produto, serviço e marketing, e me apoiei intensamente nos meus pares, sócios e parceiros, tentando construir a melhor história possível. Uma das maneiras que tenho de retribuir o apoio recebido é me esforçar, como posso, em passar aos demais o conhecimento que construimos após muita batalha.

Escrevi esse texto para os empreendedores que estão começando, não os que ainda nem começaram (para esses, eu tenho o texto “Como criar uma startup de serviço na Internet”). O meu público-alvo é o empreendedor que já tem um projeto funcionando, está capitalizado de alguma maneira – seja por investimento, empréstimo ou primeiros clientes pagantes – e agora vai iniciar a empresa. Ou então, o empreendedor que já passou por esses primeiros passos e iniciou recentemente a empresa, mas ainda está nas primeiras fases de crescimento. Se você não se encaixa em nenhum dos grupos descritos, espero que leia mesmo assim e tire algum proveito do texto, afinal, conhecimento nunca é demais :)

“Prepare-se, será mais difícil do que você pensa, mas faremos dar certo”

Essa foi a primeira frase que um dos investidores da Monashees Capital me falou, durante o aperto de mãos que simbolizou o primeiro aporte financeiro recebido pela boo-box, em julho de 2007. É claro que ele estava certo. Acredito que ninguém está completamente pronto para fazer o que nunca fez, e empreendedorismo de alto-impacto exige que você faça algo inédito em pelo menos alguns aspectos.

Mas isso não quer dizer que você deva ser um maluco que sai fazendo coisas aleatoriamente, muito pelo contrário, o trecho mais importante da frase acima é o “prepare-se”. Sim, você deve se preparar como for possível: estudando muito seu mercado, seus clientes, os casos anteriores de empresas similares, cenários parecidos em outros países. Pode-se aprender em diferentes situações, com filmes, videogames, táticas militares, músicas, viagens, etc. Prepare-se! Toda a bagagem que você puder acumular será insuficiente e você precisará montar o avião em queda livre.

Vá para a borda do penhasco e salte. Construa suas asas durante a queda. – Ray Bradbury no Brown Daily Herald (24 March 1995)

O mercado não tem sentimentos

No mercado brasileiro todas as pessoas são muito abertas ao “vamos falar”, “vamos marcar”, essas são quase sentenças obrigatórias após encontros inesperados em restaurantes ou bares, mas isso é fachada.

A verdade é que o mercado não tem sentimentos, não é seu amigo e não vai facilitar porque você está começando. Seu serviço precisa ser o melhor, seu discurso de vendas deve ser preciso e você vai falhar repetidamente até acertar todos os detalhes, mas não se preocupe, foi assim com todos antes de você.

Não minta, nem para você mesmo

Não adianta tentar enganar o cliente, ele não é bobo e, mesmo que não entenda do seu mercado especificamente, não vai pagar mais de uma vez por algo que não acrescente valor. E você quer os clientes recorrentes.

É importante ser sincero, principalmente consigo mesmo, se algo não está minimamente bom nem para você, não vá para o mercado apresentá-lo aos demais. Seja transparente com todos e leve ao mercado algo que te orgulhe. Não precisa ser perfeito, mas precisa ter valor, do contrário, a mentira (esse ser de pernas curtas) aparecerá e te envergonhará.

Seus sócios são seus melhores amigos, mesmo não sendo

São raros os empreendedores completos, com estratégia, produto, marketing, técnica, tudo em uma só pessoa. A maior parte de nós não tem todas essas capacidades desenvolvidas, mas você pode suprir isso com bons sócios.

Seu sócio será seu irmão, seu cônjuge, seu par em tudo. Deve haver cumplicidade e sinceridade total, e, mais importante: não podem haver segredos. Não deve haver nenhuma informação sobre sua empresa que você diria a um funcionário, amigo ou esposa, e não ao seu sócio, e esse comportamento deve ser mútuo. Ambos devem ter confiança total um no outro.

O menor sinal de desconfiança entre sócios pode gerar uma rachadura, muitas vezes irrecuperável, na estrutura da empresa. Eu tenho vários sócios, todos confiam uns nos outros e a comunicação é com total transparência, há inclusive diferentes reuniões onde a “roupa suja” é lavada abertamente.

Contrate rápido, demita mais rápido

boo-land

O time é o ativo mais importante da minha empresa, foi esse o maior valor que criamos desde 2007. Para manter um time coeso e produtivo é preciso vencer vários desafios, o primeiro é contratar as pessoas certas para a empresa.

Em uma empresa de rápido crescimento, há recrutamento constante e os processos seletivos, por mais bem-executados que sejam, podem trazer para o time pessoas não preparadas para a função ou sem um bom encaixe na cultura da empresa.

Muitas vezes um profissional tem todas as características técnicas necessárias para uma função, além de um comportamento que funciona muito bem em vários tipos de empresas, mas não na sua empresa.

Quando qualquer incompatibilidade insolúvel é detectada, é importante ambos (você e o profissional) terem consciência que a “culpa” não é de ninguém e o melhor é fazer a transição do profissional o mais rápido possível.

Esteja pronto para demitir, não é fácil

Não é fácil demitir um profissional, você sempre pensa nos problemas pessoais de cada um, em como a pessoa precisa do emprego para pagar as contas ou manter os filhos. É muito importante separar bem os ambientes (pessoal e profissional), para conseguir demitir quando necessário e não manter na empresa pessoas e funções que não são essenciais.

Tenha em mente que todo profissional está sujeito a ser demitido e não há problema algum nisso, toda empresa contrata e demite constantemente e a sua não será diferente. Não há nada pessoal em uma demissão e a vida de ambos (profissional e empresa) continua. Muitas vezes é até melhor para o profissional recém demitido, que pode ser mais produtivo e feliz em uma empresa que use 120% de seu potencial, o fazendo crescer e ter uma carreira mais promissora.

Uma boa maneira de reduzir atritos é ajudar o profissional a se recolocar no mercado de trabalho, com indicações e suporte à transição.

Não contrate seus familiares ou amigos

Exatamente pela necessidade de separação entre os ambientes pessoal e profissional, eu recomendo que os empreendedores iniciantes não contratem familiares ou amigos. O excesso de intimidade pode atrapalhar o dia-a-dia e a produtividade, além de dificultar a demissão, o que pode te obrigar a ficar com um profissional desnecessário, e a eventual demissão pode acabar com um bom relacionamento pessoal.

Em empresas maiores esse cenário é mais fácil de lidar, há mais espaço para a gestão fria e o profissional não precisa estar subordinado a você.

É a cultura corporativa que vai manter seu time com você

Ao receber ofertas mais tentadoras de outras empreas, seus melhores funcionários vão colocar vários fatores na balança para decidir ou não pela mudança. Fatores como salário, benefícios, funções, carreira e localização contam, mas, de acordo com a minha experiência, o mais importante é a cultura corporativa.

A cultura da sua empresa se espalha pelo boca-a-boca do mercado, atrai os melhores para seu time, mantém a coesão de discurso e comportamento dos funcionários. Dentro de certos limites, a cultura te ajudará a manter os melhores, mesmo com ofertas mais tentadoras em localização, benefícios ou atividades.

Livros de auto-ajuda e cartazes nas paredes não são a cultura corporativa

A cultura corporativa é moldada diariamente pelo time, o empreendedor é um importante leme, mas não tem o controle total da situação. Se o time não quiser fazer cafés-da-manhã no escritório, o empreendedor não vai conseguir mudar isso sem estar obrigando as pessoas a comparecer, e nenhuma atividade obrigatória é legal. Se o time quiser fazer happy-hours com karaokê 1 vez por mês, isso vai se tornar um fator da cultura corporativa mesmo que o “chefe” não participe (meu caso :)

Isso é só o começo

fim de ano

Essas são apenas algumas dicas que consegui listar em uma noite de domingo. Obviamente há muito mais a ser adicionado e pode ser que eu o complemente com outros textos no futuro.

Que tal me ajudar? Que outras dicas você daria à um empreendedor iniciante que acaba de montar sua empresa e quer construir uma grande história?

Textos relacionados:

Responda o comentário de Diego

18 comentários

  1. Diego Teixeira comentou:

    Boa Marco!

    Algumas coisas que ninguém nunca conta pra gente antes é: Teste, Teste, e Teste.. existem N formulas prontas no mercado (de tudo, formulação de preço, gerenciamento de tempo, gerenciamento de equipe, etc), Teste, e adapte a que funciona melhor dentro da cultura da sua empresa, não aceite o que te impõem, mesmo que venha de alguém com muito mais experiencia que você..

    Uma coisa muito legal que ja fazia antes de empreender, mas ficou muito mais nítido depois foi: se coloque em situações desafiadoras (calcule os riscos, obviamente, você vai saber até onde poderá ir)… isso pode definir o seu sucesso…

  2. Wdson comentou:

    Interessante, marco… Bem colocadas as questoes… Estou no exato momento q vc falou no comeco do texto…. Minha empresa tem menos de seis meses, porem o negocio eu ja tenho ha 3 anos…meu ramo acredito que seja um pouco complicado,pois demanda de profissionais extremamente qualificados, mas apos todo esse tempo estudando o mercado diariamente, descobri o caminho entre as pedras, tenho um modelo de negocio extremamente solido, que acredito que vai mudar o modo como o mercado ve as caricaturas. Ja esperimento isso em pequena escala em minha regiao, estamos agora em fase de franca expansao… A sua historia é bastante motivadora pra mim, e me espelho muito no seu espirito de empreendedorismo. Eu gostaria de frisar isso que vc comentou sobre a equipe… Ainda mais quando a empresa é pequena, sao os seres humanos que fazem toda a diferenca, entao pra alguem que esta comecando, digo por experiencia, que alem do profissional ser bem qualificado, ele tem que se encaixar bem na cultura da empresa, pois uma pessoa que nao esteja no ritmo do time, pode levar um setor inteiro pra lama… Enfim… Estamos crescendo, e acredito que essa é a fase mais importante ate agora que a empresa tem passado, onde procuramos investidores para alcar voos maiores… Empresas grandes ja mostraram interesse nas nossas ideias e experiencias, agora precisamos mostrar como vale a pena investir na gente…essa parte me da um frio na barriga, mas estou excitadissimo e confiante que tudo dara muito certo…alias, nao vejo nenhum outro futuro a nao ser o sucesso…desculpem o comentario enorme, mas estou feliz com os rumos que sigo, queria compartilhar com voces :) perseverar sempre!

  3. Walmar Andrade comentou:

    A outra dica que eu daria é: fique de olho nos números, de perto e constantemente. Eles não mentem.

    Excelente post, Marco!

  4. Rafael A. Grube comentou:

    Obrigado Marco Gomes. Gostaria que vc soubesse que suas dicas e história são instrutivas e inspiradoras. Por favor não pare de compartilhar suas dicas. Obrigado mais uma vez!

  5. É incrível como um conteúdo tão bom ainda não foi tão divulgado rs.
    Aprendendo contigo, meu caro!

    Abç.

    • Daniel comentou:

      Muito bem colocado os topicos, porém creio que falta ressaltar uma coisa, em realizar aquilo que ama, que goste, engatar uma pequena empresa ou negócio por $$ hoje em dia é o mesmo que atirar no pé, alguns conseguem se sobressair pois conseguem profissionais bons, mas se o próprio lider não gosta do que faz dificilmente seus funcionarios também não se motivariam.
      Outro ponto é respeitar seus funcionários, sua empresa não se move sozinho.

  6. Eu acrescentaria como sugestão:estude muito e otimize seu tempo. Quanto mais rápido se aprender, mais bem utilizado o tempo se torna.
    Abraços!

  7. Luiz Claudio Benck comentou:

    Excelente post.
    Finalmente o Brasil tem bons exemplos de empreendedorismo, que não apenas os pseudo-empresários que ficam muito bem, obrigado, mas sua empresa é uma lástima, para clientes, funcionários, fornecedores, governo e sociedade.
    Um país só tem a ganhar com uma geração de empreendedores que não busca o resultado financeiro a curto prazo, mas sim construir algo relevante para o mundo.
    Parabéns.

  8. Diego comentou:

    Primeiramente eu gostaria de lhe dar os parabéns Marco! Já conheço a sua empresa faz algum tempo. Estou acompanhando constantemente o seu blog!
    Eu estou estudando faz algum tempo a possibilidade de montar uma Startup!
    Mais ainda estou pesquisando o mercado!

    Parabéns mais uma vez!
    Muito obrigado!

  9. caricaturas comentou:

    Ótimas dicas, vai me ajudar muito na minha jornada. muito obrigado.

  10. Top Ragnarok comentou:

    Boa Marco, era exatamente o que eu procurava, algumas coisas eu já havia conseguido “pescar” em outros sites, mas aqui você praticamente deixou tudo em um único post… Excelente!

    Muito obrigado, Deus abençoe e sucesso.