Marco Gomes

Geek, imigrante, nerd, cristão, biker. Founder da boo-box (vendida) e do Heartbit. Consigliere do JovemNerd

Você só precisa do apoio dos blogs

Publicado em 2007-03-21

Se você está fazendo um projeto pra Web e pensa em investir em publicidade em veículos mainstream, pare e pense um pouco.

De acordo com minha experiência pessoal, você não precisa da aprovação da mídia de massa logo no início do seu projeto. Se você quer que as pessoas conheçam seu produto, insira-se nos blogs.

É assim: centenas de blogs falam do seu produto, os jornalistas espertos ficam sabendo através dos blogs, os jornalistas menos espertos ficam sabendo através dos jornalistas mais espertos. Por consequência os empresários e investidores ficam sabendo por conta dos jornalistas e você se deu bem. Com o tempo os jornalistas param de falar, mas os blogs continuam pois são muitos, outro jornalista descobre seu produto, reiniciando o ciclo.

Se você deixa os blogs de lado perde a garantia de persistência do buzz, os jornalistas falam porque você enviou e-mails mostrando seu produto, mas logo esquecem-no, e sua criação cai no limbo. Pense nos blogs como pessoas, se você tem as pessoas ao seu favor, será difícil ser esquecido.

Pra conseguir se manter nos blogs, algumas medidas podem ser tomadas:

  1. Esteja pessoalmente inserido na comunidade blogueira.
  2. Seja simpático, não engane os blogueiros ou seja ignorante com quem critica seu produto, por mais que seja um troll, seja paciente.
  3. Atualize sempre pras pessoas terem o que falar em seus posts.
  4. Ouça música, isso não vai garantir seu sucesso, mas se tudo der errado você ainda vai poder falar que se divertiu ouvindo uma sonzeira noite adentro ;)
  5. Comente pessoalmente o máximo de posts sobre seu produto que puder. Um simples muito obrigado pelo apoio faz a pessoa pensar Nossa! O criador do produto veio aqui no meu blog!, é como se você fizesse uma visita à casa do blogueiro pra tomar um suco às três da tarde de sábado.
  6. Responda os e-mails enviados por usuários prontamente, e seja sincero, não dê respostas prontas.
  7. Você está falando com pessoas, não use, em hipótese alguma, linguagem corporativa.
  8. Nem pense em propor pagamento por análises positivas, somente um idiota tentaria isso, bons blogueiros não vendem sua opinião.
  9. Ofereça seu produto de graça ao blogueiro.
  10. Pergunte, por e-mail, o que ele acha do mais recente recurso que vocês acabaram de lançar.
  11. Se puder, proponha a compra de espaço publicitário no layout dele. Ao colocar seu anúncio no layout ele provavelmente vai avisar aos leitores, pronto, você acaba de ganhar um post só sobre o seu produto.

Num futuro próximo eu pretendo escrever mais a respeito, sei que posso dar dicas muito úteis pra quem ainda não passou por isso. Eu aprendi na marra, batendo cabeça, posso evitar que outras pessoas cometam os mesmos erros.

Poder às pessoas!

Textos relacionados:

Deixe sua opinião

10 comentários

  1. Wendely Leal comentou:

    Entre um projeto e outro você me avisava que saiu aqui ou ali meio assustado, como se não esperasse retorno daquela forma.

    É clichê, mas quando a gente faz certo, sem se importar com os outros, dá certo.

    Sucesso! \o/

  2. celsojunior comentou:

    Ao meu ver, você acabou de definir o real significado de BUZZ!

    Abraço.

  3. Walter Cruz comentou:

    Esse negócio de tentar se auto-promever soa muito mal. Se por um lado, blogueiros não são jornalistas, por outro lados, são pessoas, como cada um de nós. É o fato de ser referenciado em um outro blogue, creio que tem um efeito forte sobre a psiquê: “Alguém(uma pessoa, não uma instituição) falou bem disso. Vou testar!”. Foi assim que conheci o boo-box :)

  4. Nando Vieira comentou:

    Concordo com o Walter. É o famoso efeito cascata. Por isso é importante o produto ser de boa qualidade. Uma vez que é taxado de ruim, ruim será para sempre.

  5. Otavio Nogueira comentou:

    Muito bom texto..

    realmente tendo uma boa “aceitação” da massa blogueira, um serviço tende a ser um “bum” afinal seu link começa a ser comentado e falado em todos os cantos.

  6. Walmar Andrade comentou:

    Qual o problema da autopromoção? Se você não se promover, quem fará por você? Observe como as pessoas de sucesso se promovem. Não vejo ninguém criticando os keynotes do Steve Jobs. Pelo contrário, só vejo elogios.

    Se você confia na sua capacidade e tem algo bom a mostrar ao público, não se acanhe em se autopromover. Toda promoção que tem um fundamento será validada e multiplicada pelos demais.

  7. Carlos Lopes comentou:

    Não existe problema em se autopromever. Mas a autopromoção não tem a mesma validade/efeito do que um indicação fidedigna.

  8. Anthenor Aguiar comentou:

    Olá Marco.

    Gostei do Post. Muito interessante. Seu Segundo parágrafo citou praticamente o mesmo que eu disse no meu post

    Sim eu tenho 14 anos. e “Obrigado pelo apoio”

    Abraços.

  9. Gustavo Montes comentou:

    Gostei do artigo, mas devo discordar em um ponto. A maioria das vezes o projeto não permite algumas coisas do ponto de vista “tempo X dinheiro”, por exemplo a dica número 1. Infelismente não é tão simples se inserir na comunidade blogueira de forma a fazer a diferença. Isso leva tempo, que normalmente o próprio projeto já exige. Fora isso eu concordo com boa parte do artigo, principalmente a “humanização”. O fato da pessoa por trás do produto “aparecer” já o diferencia em relação aos demais…