Marco Gomes

Interneteiro, imigrante, nerd, cristão, biker. Founder da boo-box (vendida) e do Heartbit. Consigliere do JovemNerd

Ciclistas, vamos usar câmeras de bordo para educar e denunciar?

Publicado em 2013-12-12

Clarkson, apresentador do programa Top Gear da BBC, mostra camiseta: Motoristas: Obrigado por me deixar usar suas estradas.

Muitos acham que é assim: Motoristas: Obrigado por me deixar usar suas ruas.

Estou usando uma câmera de bordo na bicicleta para registrar o que acontece nos trajetos que faço, esta semana fui atacado 2 vezes por pessoas que aparentemente não aceitam a presença do ciclista no asfalto, devem achar que a rua pertence exclusivamente aos motoristas.

Vejam as situações que passei recentemente

Motorista dá fechada, fina educativa e tira satisfação

Motorista dá fechada agressiva em ciclista

Todo ciclista tem histórias assim, nem sempre documentadas. Minha proposta é que passemos a documentar tudo usando câmeras de bordo nas bikes. É importante ter em mente que a câmera não te protege em acidentes, ela não vai impedir que você se machuque ou morra. Mesmo assim, a câmera é mais um recurso para você reivindicar seus direitos no caso de uma ocorrência mais grave e, principalmente, colocar vídeos na Internet para educar outras pessoas.

A educação é um dos aspectos mais importantes destes vídeos que faço, a idéia é espalhar este tipo de ocorrência para o máximo possível de pessoas. Ninguém sai de casa de manhã pensando “hoje vou sacanear um ciclista”, esse tipo de conflito acontece no calor do momento, no trânsito, que estressa a todos nós. Espalhando estes vídeos para muita gente, talvez as pessoas evitem dar fina educativa ou fechada em ciclistas.

A câmera que eu uso: Sports HD DV Waterproof Action Camera

Foto da Sports HD DV Waterproof Action Camera

A câmera que uso é a Sports HD DV Waterproof Action Camera, disponível no DealExtreme por US$67.90 (clique aqui e compre). Ela grava vídeos em HD 720p a 30 fps, em FullHD 1080p a 10 fps; faz fotos sequenciais, tem proteção à água, usa um cartão micro-SD de até 32 GB e vem com um kit muito bacana com vários suportes em plástico e velcro.

A câmera não foi reconhecida pelo meu computador ao plugar o cabo USB, deve faltar algum driver, mas os arquivos (vídeos ou fotos) são gravados no cartão microSD; então eu tiro o cartão da câmera e o coloco em um adaptador de cartão SD, insiro o cartão no meu laptop e os arquivos podem ser transferidos e o cartão gerenciado normalmente, como uma pen drive USB.

E por que não usar uma GoPro?

A câmera GoPro Hero3 (modelo atual) custa no mínimo US$ 199,99; a minha câmera custou apenas US$ 65, o formato cilíndrico funciona melhor na bike e não chama tanto a atenção de eventuais criminosos. Além disso, as câmeras GoPro mais antigas não têm a função Loop Recording (falaremos disso abaixo), minha câmera tem, assim como a GoPro Hero3.

Loop Recording

O mais importante é que a câmera tenha recurso de gravação em ciclo, recurso normalmente descrito como Loop Recording, câmeras com este recurso nunca “lotam o cartão”, quando acaba o espaço no cartão de memória a câmera apaga o primeiro vídeo gravado e recomeça, eliminando a necessidade de você liberar espaço usando um computador ao fim de cada viagem.

Posicionamento da câmera

Outra dica importante é colocar a câmera em local que dê o máximo de contexto do que está acontecendo, portanto, o guidão não é bom local. Eu tenho usado a câmera abaixo do banco, esta posição é boa pois mostra o guidão, o que demonstra a distância das finas, fechadas e demais infrações que você possa sofrer, inclusive colisões laterais. O ideal mesmo seria pegar inclusive imagens da traseira da bike, uma maneira seria usar duas câmeras, uma apontando para frente, outra para trás, mas duas câmeras em uma bike eu já acho excesso de vigilância.

Mas você é anti-carro?

Eu não sou anti-carro, sou pró-bike, são posturas diferentes. Eu tenho um carro e o uso, só não faço o percurso casa-trabalho nele pois seria muito lento e caro, de bike é mais saudável, rápido e melhor para a sociedade.

Marco-Gomes de bikefixa

Se as ruas das grandes cidades brasileiras estão cada vez mais perto do “cada um por si” dos ringues de MMA, vamos ouvir o que o árbitro sempre fala antes do início das lutas: “protect yourself all times”. É importante se fazer visível o tempo todo; é importante cumprir as leis relacionadas a semáforo e pedalar no sentido da via; é importante se proteger da melhor maneira possível; é importante usar itens de segurança como luzes piscantes, além dos itens exigidos por lei no C.T.B.

Após 2.068 km pedalados em São Paulo nos últimos 2 anos, percebi que só o bom senso e a civilidade não são suficientes, muitas pessoas ainda não entendem que lugar de bicicleta é na rua, junto dos demais veículos. Eu pedalo aproximadamente 16 km por dia, destes, 12 km são em ciclovia exclusiva. Se compartilhando vias em 4 km por dia tenho enfrentado muito desrespeito, imagine quem pedala 10 km, 12 km compartilhando vias.

Vamos gravar tudo, documentar o desrespeito e educar as pessoas?

Eu sei que há ciclistas que desrespeitam leis, que colocam pedestres em risco e atrapalham a vida de todo mundo, mas o texto não é sobre isso, evite fazer comentários neste sentido :)

Textos relacionados:

Deixe sua opinião

24 comentários

  1. Franque comentou:

    Não vai processar o cara? Tu pegou a placa, deveria meter um “processinho” nele, por tentativa de assassinato, sei lá. Deve ter algo!

  2. Diego Costa comentou:

    Outra coisa legal e por a camera ai, é que não fica visivel para o motorista. Pq provavelmente se ele ver que tem uma camera, não vai fazer uma atrocidade dessas!

    • Marco Gomes comentou:

      Eu adoraria pensar assim, mas não é a verdade, um taxista já até sorriu p/ minha câmera e falou “seu lugar é ali, ó”, apontando embaixo da roda da frente do carro dele.

      Se presença de câmera evitasse infrações, eu andaria com uma câmera no capacete, prefiro filmar caminhos tranquilos todos os dias que ficar correndo risco de pegar situações como a que demonstrei no vídeo.

  3. Handrey Fernando Zoz comentou:

    sou ciclista também, e faço treinos de speed todos os dias pelas estradas e ruas da minha cidade, e sei bem oque é ser totalmente ignorado por alguns motoristas, já perdi as contas de quantas portas se abriram para min neste anos de pedal, ( e nem é tipo a porta do Serginho Malandro, é a porta dos carros mesmos), cara que passa tirando fina na estrada em alta velocidade para te assustar, eu me cinto como se fosse um objeto inanimado, desprovido de humanidade, pois a nossa vida é totalmente desprezada, tanto faz se derrubar , atropelar, quebrar matar, sempre vai ter a desculpa que lugar de bicicleta não é na rua,
    que a rua é lugar só de veículos motorizados, se não fosse o amor que eu tenho pelo andar de bicicleta, pelo esporte, já teria abandonado a magrela muito tempo, pois o ciclista não tem nenhum incentivo que o faça se sentir seguro, e isso é um grande problema para um pais em que as questões de acessibilidade estão ficando cada vez mais em pauta nas grandes cidade.

    Um grande abraço, e não desista da bike, ela é o futuro das nossas ruas. ( se ainda os ciclistas estiverem vivos até lá)

  4. Marcelo Jardim comentou:

    Espero profundamente que você tome alguma decisão legal a respeito disso.

  5. Thiago comentou:

    Fazemos nossa parte na sociedade não poluindo e ajudando no transito e somos tratados dessa maneira frequentemente. A vida desse infeliz deve ser um inferno para tratar um ser humano dessa forma mortal e covarde. Já essa lanterna deveria ser obrigatória para todo ciclista. Vou comprar a minha.

  6. Natalia comentou:

    sei q vc falou sobre evitar comentários sobre os erros dos ciclistas, mas sinto falta de posts e campanhas pra ensinar a galera a pedalar, a se proteger como vc citou… se fala mto e com indignação sobre a atitude de alguns motoristas(q acredito ser a minoria, graças a Deus), mas pouco ou quase nada se fala de companhas de educação para ambas as partes… alias pouco se fala de educação no transito em geral, vide a eterna guerra entre motoristas e motociclistas… MAIS AMOR POR FAVOR!

    • Adriano Matos comentou:

      Realmente sinto falta de campanhas educativas para os ciclistas “que não são engajados”.
      Em cidades menores, que a bicicleta é um meio de transporte mais comum, é inexistente o uso de refletores ou luzes indicativas, já fechei um ciclista a noite simplesmente por não o ver.

  7. Lucas Pereira comentou:

    E tu chegou a prestar queixa nesses casos?

  8. Pedro comentou:

    Caro Marco,
    Eu quero comprar a camera. Mas pela descrição do produto, parece que só roda em sistema Windows. É isso mesmo? Vc sabe se é compatível com Mac?

    Abs e ótima idéia!

    • Marco Gomes comentou:

      A câmera é compatível com Mac e Windows sim, ela grava arquivos AVI (acho que são avi, nem lembro) num cartão MicroSD. Você coloca o cartão MicroSD num adaptador SD ou leitor de cartões e transfere os arquivos p/ seu computador. Eu não consegui transferir os arquivos usando o cabo plugado na câmera, apenas plugando o cartão com adaptador direto no laptop.

  9. Célia Ameriot comentou:

    Marco, tenho profunda admiração por sua história de pura superação. Você é um desses seres humanos que inspiram seus semelhantes a fazer sempre mais para alcançar seus objetivos.

    Parabéns por todas as suas conquistas pessoais e profissionais.

    Célia Ameriot

  10. Marcos,

    Sempre que posso dou uma lida aqui no blog e já chegamos a conversar naquele post sobre qual bike escolher. Uma curiosidade, adicionar ao ombro em uma mochila fica muito ruim ? Mais ou menos quanto está o tempo de carga ? Você chegou a fazer algum vídeo com muita água para ver como ficaria em dia de chuva ?

  11. Gabi comentou:

    Oi!

    Mudei pra Sampa no meio do ano e voltei a trabalhar agora em dezembro. São 7km, entre a Av Rebouças e o Berrini. Vou de bike e acho que, por ser mulher, não sou muito fechada ou coisas do tipo, só quando pego a Faria Lima, mas tento evitar.

    Sou constantemente estimulada por pessoas na rua e entre os amigos. E isso me dá ânimo de aturar as poucas coisas que me acontecem.

    Só acho que você deveria usar capacete!!! Sua esposa vai ficar muito feliz e tranquila. E como um formador de opinião, seria bem bacana da sua parte.

    Beijos!!!

  12. Cesar comentou:

    Valeu pela explicação da câmera. Estava procurando por algo bem mais em conta que uma Go-Pro e estava em dúvida em relação a essa que você indicou. Abraço.

  13. Tiago Barufi comentou:

    Eu experimentei usar câmera, mas depois de um tempo percebi que isso não me fazia bem. Era como se eu procurasse exacerbar os problemas para ter o que gravar. Isso tornou meu trajeto mais difícil. Minhas melhores experiências partem de uma atitude pacificadora no trânsito, e eu descobri que sou menos pacificador quando tenho uma câmera para mostrar o que os outros fazem de errado.
    De qualquer modo essa é apenas a minha experiência, e acredito que para cada pessoa isso pode funcionar de um modo ou de outro.

    • Marco Gomes comentou:

      Legal sua experiência, obrigado por compartilhar.

      Meu caso é que eu esqueço que tenho câmera. Nos primeiros dias vc lembra, mas depois de algumas semanas vc esquece. Ligar no início e desligar no final do rolê se torna tão automático quanto ligar/desligar o app de acompanhamento (strava/runkeeper).

  14. marcelo mac comentou:

    além de gravar e publicar, deve-se tb procurar um posto policial e fazer o b.o. sobre o fato.
    é a mesma coisa de qdo um carro passa na poça dágua e te molha… ele comete uma infração, mas nós, como bons brasileiros, deixamos td barato e não fazemos uma queixa na policia contra o condutor mal educado!

  15. Rafael comentou:

    Muito legal a dica, a horas estava procurando uma câmera, mas devido os altos preços praticados aqui no Brasil para Go Pro, Sony etc estava difícil, compro muita coisa no DX, mas devido a qualidade de alguns produtos fiquei com receio de comprar uma câmera mais cara lá e depois não me atender, mas esta parece ser boa e atender ao que preciso, vi uns videos, valeu a dica, é agora que compro.

    Assim como muitos a bike é meu meio de transporte urbano e as situações de desrespeito são diários, porém agora com uma câmera podem ser documentados e posteriormente usados como prova caso algo mais grave venha a ocorrer.

    Valeu pela dica, vou repassar…

  16. MARINA BRUXEL comentou:

    Alguém viu isso?
    http://vadebike.org/2013/10/motoristas-de-onibus-sentem-o-que-e-levar-fino-numa-bicicleta/

    Eu achei muito bacana!
    E penso que seria interessantíssimo ter algo do tipo nas auto escolas..

  17. Ricardo Santos comentou:

    Sério cara, respeito sua luta, ando de bike na minha cidade, mas cuidado cara, tu ainda vai acabar sendo atropelado por um desses babacas.

  18. Alex Cunha comentou:

    Comprei uma camera WaterProof Action mas ela não está funcionando com sd card 32gb e com o de 8gb funciona mas só grava 56 segundos…alguem pode me ajudar??? Obrigado

    • O Ciclista comentou:

      Em Porto Alegre, não temos ciclovias, mas 24km de calçada ou sarjeta pintada de vermelho, obra de uma prefeitura inútil; a própria expressão do provincianismo, nossa especialidade. Quero prestar minha solidariedade a todos aqueles que utilizam a bicicleta como meio de transporte.
      Dêem veículos motorizados a esse povinho mal educado e como consequência tem-se esse trânsito pavoroso que atormenta nossas vidas nas capitais deste país. Quem pedala é parte da solução do problema que tanto estressa essa gente, mas eles insistem em intimidar o ciclista. Que mofem nos engarrafamentos e que passem meia horinha por dia com aqueles que amam. Quem se abstém de pensar no problema do trânsito merece tudo de ruim que as aparentes vantagens da vida na cidade trazem como contraponto.
      Boa noite!

  19. José Mário bike Olinda comentou:

    Muito boas suas dicas e observações Marcos, espero que no futuro tenhamos uma pedalada mais segura e eficiente.
    Pedalo também em torno de 30 km por dia para seguir pro trampo e confesso que o desconhecimento, as vezes proposital, por parte dos motoristas é gritante e periculoso, e hoje até, como fator potencializador dos riscos, temos os motociclistas que além de serem em sua grande maioria péssimos usuários do trânsito, ainda apresentam uma certa repulsa com relação aos bkers.
    Forte abraço.