ūü§Ē A quem interessa uma classe m√©dia que n√£o se v√™ como pobre?

Criaram a “classe m√©dia” para apaziguar quem iria se rebelar se percebesse¬†que somos todos pobres: precisamos trabalhar para mantermos nosso estilo de vida e n√£o morrermos de fome.

Mulher com roupas chiques aponta para a c√Ęmera com uma m√£o, na outra um microfone; atr√°s dela, uma multid√£o de esfarrapados; nas laterais, soldados fardados e armados

Na minha opinião, só é rico, mesmo, quem pode parar de trabalhar e o dinheiro da pessoa continuaria gerando mais dinheiro, a ponto dela nunca mais ficar pobre. Todo o resto é pobre. Se você precisa trabalhar para manter seu padrão de vida e conforto, você é pobre. Rico de verdade pode viver do dinheiro que o dinheiro gera.

Com inten√ß√£o de manter o status quo,¬†criaram¬†“a classe m√©dia”, que tem nojo do pobre (inclusive se for ex-pobre); e acha que √© rica (mas √© pobre). Pobres. Assim a “classe m√©dia” topa enfiar com areia nos pobres e em si pr√≥pria (pois √© pobre) para manter regalias de quem controla tudo: Pol√≠ticos e Empreendedores Amigos do Estado‚ĄĘ, que √© como chamo os empres√°rios-pol√≠ticos a quem o Estado regularmente socorre¬†usando o dinheiro dos¬†impostos que voc√™ paga.

No Brasil o rico normalmente pega todo o dinheiro que precisa como dividendo, n√£o como pr√≥-labore, e com isso ele n√£o paga Imposto de Renda, √© isso¬†que diz a lei do¬†pa√≠s. N√≥s (pobres) recebemos sal√°rio ou pr√≥-labore (em caso de pequenos e m√©dios empres√°rios), portanto, pagamos Imposto de Renda.¬†Com isso o¬†nosso dinheiro √© usado para construir e manter os bairros que eles moram. Voc√™ paga Imposto de Renda e o seu dinheiro faz bairros dignos de primeiro mundo (literalmente) para os Pol√≠ticos e Empreendedores Amigos do Estado‚ĄĘ,¬†que, repito,¬†normalmente n√£o pagam IR (ou pagam apenas sobre uma pequena¬†parte de sua remunera√ß√£o total).

Por “bairro” n√£o estou falando apenas de cal√ßada e asfalto, estou falando do¬†ambiente todo, inclusive e principalmente seguran√ßa. Compare os √≠ndices de viol√™ncia entre Lago Sul/Recanto das Emas, Jardim Paulista/Cap√£o Redondo, Leblon/Rocinha e voc√™ vai entender o que eu quero dizer. Os pol√≠ticos¬†usam o seu dinheiro para manter a seguran√ßa deles e dos seus, e tente voc√™ ir fazer protesto e fechar rua no Lago Sul para ver o que te acontece.

IMHO o problema n√£o √© apenas o rico pagar pouco imposto, o problema est√° no pobre pagar muito imposto e isso ser usado para sustentar o estilo de vida dos Pol√≠ticos e Empreendedores Amigos do Estado‚ĄĘ.

Resolvi falar porque fico triste em ver morador de favela achando que mora em cidade porque tem asfalto; pobre achando que é rico porque tem carro zero…

Vis√£o de um bairro com ruas de terra, casas prec√°rias com tijolos expostos
“Mans√Ķes Para√≠so”, um dos novos bairros do Gama, DF. H√° outros bairros com melhor estrutura urbana, mas nenhum deles lembra um pa√≠s desenvolvido.

L√° no Gama-DF, de onde venho, gastaram R$785 milh√Ķes para fazer um BRT que piorou a vida de quem usa transporte p√ļblico na cidade¬†‚Äď em muitos casos a viagem precisa de 3 √īnibus e pode ficar mais¬†demorada¬†do que antes com apenas um, al√©m de v√°rias¬†esta√ß√Ķes constru√≠das e nunca inauguradas ‚Äď,¬†e¬†os gamenses ficam irritados quando eu falo que aquilo √© uma favela.

Gente do Gama, voc√™s moram numa favela, o que voc√™s pagam poderia construir uma cidade de primeiro mundo para voc√™s morarem. R$785 milh√Ķes daria para fazer uma esteira rolante dos Jetsons de 44 km, saindo do Gama e indo at√© o Plano Piloto.

“Ningu√©m se revolta?” Eu me revolto, mas se revoltar de NY √© f√°cil n√© ‚Äď n√£o vou sair daqui para ir l√° protestar ‚Äď, o povo l√° pode, se quiser, ter a iniciativa de agir para tentar mudar algo.

Com este texto, recebi um “andou lendo Marx?” HAHA, n√£o! Vivi no Brasil rodeado de ricos por mais de 10 anos, depois vim para os Estados Unidos e percebi como eles usam impostos aqui (n√£o √© perfeito, mas √© melhor que no Brasil).

Os boy conhece Marx, nóis conhece a fome, já diz o Emicida. O problema é quando o esfomeado acha que está de bucho cheio.